Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Nota de apoio e solidariedade aos ataques proferidos contra FFCH da UFBA

24/11/2017 às 15:07, por Cristiane Tada.


Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher tem sofrido ataques e ameaças violentas, machistas e misóginas

Nota de apoio e solidariedade aos ataques proferidos contra Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFBA, sobretudo ao campo dos estudos de gênero e diversidade

A União Nacional das e dos Estudantes, soma-se à comunidade acadêmica da Universidade Federal da Bahia, às organizações e movimentos sociais baianos e brasileiros, no repúdio aos últimos acontecimentos vividos nesta universidade e na profunda solidariedade às companheiras feministas da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, em específico as estudantes e professoras do NEIM – Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher vinculado a FFCH da UFBA.

O NEIM é referência em produção acadêmica nacional, e internacional nos estudos de gênero, feminismos, e sexualidade há quase 35 anos. Nos últimos dias o NEIM e suas pesquisadoras têm sido alvo de ataques, que passam da censura ao pensamento crítico produzido em suas pesquisas sobre gênero, sexualidade e mulheres, a ameaças violentas, machistas, misóginas perpetradas contra pesquisadoras/es, alunas/os, professoras/es e contra a própria instituição que o abriga, a Universidade Federal da Bahia.

Nestes dias de violências expressas pela ignorância, intolerância e ódio, destacamos a importância da luta por uma educação libertadora e a emergência do posicionamento político daqueles e daquelas que a defendem como instrumento de produção, troca de conhecimento e ferramenta, das mais caras, de transformação social. Cabe destacar que o ataque ao qual a UFBA está submetida ultrapassa as ameaças e atos criminosos contra as pessoas. É um ataque ao pensamento crítico e visa fortalecer um projeto para a educação no Brasil, que tem seus tentáculos no projeto “Escola Sem Partido”, no combate à chamada “ideologia de gênero”, nos cortes de verbas para as universidades públicas e nas propostas em curso de privatização do ensino.

Ao tratarmos as relações entre educação e política, não podemos deixar de pensar no papel – teórico e prático – que a educação possui na construção política, ideológica e cultural de uma sociedade. Na defesa da nossa tão frágil democracia, que vivencia hoje um golpe contra todos os avanços conquistados em décadas de luta.

A investida contra a UFBA e sua comunidade acadêmica, por meio da censura à produção de conhecimento e à intimidação individual e coletiva, precisa de uma resposta à altura do que está em jogo. Uma resposta que não venha só dela, mas de toda a sociedade. De todos e todas que defendem uma educação pública, gratuita, de qualidade, laica, autônoma e socialmente referenciada. Uma reação em cadeia que (re)coloque a educação brasileira no seu devido lugar – o de contestação, de produção de conhecimento autônomo e crítico.

Não iremos nos calar!

Gritaremos tão alto que esse grito ecoará e incendiará corações e mentes contra o ódio e a intolerância!

Todo apoio e solidariedade ao NEIM, a Faculdade de filosofia e Ciências Humanas, e a Universidade Federal da Bahia, que sempre foram celeiros de resistência e muito luta pela democracia no Brasil e no mundo.

União Nacional dos Estudantes

24 de Novembro de 2017

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo