Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Diretoria da UEE-SP toma posse e exalta a pluralidade da entidade

Tags:

Aconteceu na noite desta última terça-feira (30), no Auditório da Universidade Paulista (UNIP), a posse da nova diretoria da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP). Para reforçar a pluralidade do movimento estudantil, a solenidade reuniu, além da nova diretoria executiva da gestão, parlamentares, deputados e um grande número de estudantes, que ocuparam todo espaço do auditório até o fim do ato.

Para prestigiar essa nova gestão, que estará a frente da entidade pelos próximos dois anos, nomes de peso compunham a mesa de abertura, como o vereador Netinho de Paula; a deputada estadual Leci Brandão; o ex-presidente da entidade, Carlos Siqueira; o ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Augusto Chagas; o presidente estadual do PSOL, Miguel Carvalho; o coordenador de Políticas de Juventude da Prefeitura de São Paulo, Devanir Lima; o coordenador de Juventude de Guarulhos, Wagner Hosokawa;o membro da executiva do PSDB, Evandro Losacco; e o grande sambista, Tobias da Vai Vai.

Carlos Siqueira relembrou que há exatos dois anos, no mesmo auditório, a UEE-SP também apresentava uma gestão, naquela época sob sua direção, e parabenizou o novo presidente, Alexandre “Cherno” Silva, por dar continuidade a um trabalho de muita luta e mobilização pela educação de qualidade no estado de São Paulo. “Tenho a convicção de que esse novo time estará junto com os estudantes e ainda comemoraremos muitas vitórias para a educação paulista e brasileira. Boa sorte e muita luta pela frente”, saudou.

Combatividade e diversidade no movimento estudantil

Todos os convidados ressaltaram a importância de dar continuidade ao histórico combativo da entidade. Durante a ditadura militar, a UEE-SP passou a ser perseguida e foi posta na ilegalidade em 1971, durante a vigência do AI-5 e do governo Médici. Só em 1981, com a reabertura política e a anistia, a entidade iniciou sua reconstrução. “Desde então, a UEE está presente em todas as lutas dos estudantes: redução de mensalidades, denúncia de cortes de verbas, garantia do direito do passe livre, primeiro emprego e muitas outras bandeiras. Tenho certeza que estes jovens ainda registrarão muitas vitórias pela UEE-SP e entrarão para a história” ressaltou Augusto Chagas, que também já foi presidente da entidade.

Leci Brandão explicitou ainda a importância de construir uma entidade cada vez mais plural e aberta a todas as cores e bandeiras da juventude brasileira. “Esses meninos da UEE-SP já tem demonstrado um grande compromisso na construção de uma universidade justa e igualitária. A juventude tem sonhos e esses sonhos precisam ser realizados, com ações efetivas que permitam sonhar ainda mais. E temos que contemplar a todos, sem exceção”, avaliou.

Apoio às bandeiras de luta da UEE-SP

As bandeiras de luta da próxima gestão da UEE, 10% do PIB e 50% do Fundo Social do pré-Sal para educação, além de um Plano Estadual para Educação e políticas de permanências aos estudantes bolsistas do ProUni foram apresentadas e discutidas durante a solenidade. Perante as reivindicações, o clima da posse foi de abrir portas.

Uma das bandeiras mais discutidas foi a aprovação da legalidade do Projeto de Lei 256/2011, votado pelos vereadores que integram a Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa da Câmara Municipal de São Paulo, no dia 3 de agosto. O PL, desenvolvido pelo Netinho de Paula, prevê a isenção da tarifa nos ônibus da cidade de São Paulo aos estudantes bolsistas do ProUni.

“Se a educação é prioridade no país, então me dê ao menos políticas de permanência para que os jovens atinjam esta prioridade com eficiência. O ProUni contribui para o ingresso de jovens da periferia em universidades das quais não tinham chance. Em 2010, cerca de 35 mil bolsas foram ofertadas na cidade de São Paulo. Vocês que estão aqui sabem muito bem disso. E os números estão aumentando satisfatoriamente. Mas, vejo que ainda podemos elevá-los ainda mais. O passe livre aos estudantes do ProUni, certamente, seria um mecanismo de incentivo ao ingresso neste importante programa. E sei que o pessoal da UEE-SP vai nos ajudar muito nesta batalha”, pontuou Netinho.

Por fim, o presidente Alexandre “Cherno” Silva chamou todos os diretores para a frente do auditório e anunciou uma caminhada de alegrias, em todos os espaços e em todas as ações. Ele ainda reforçou o caráter pluralista da entidade e a importância de reunir lideranças de diferentes correntes políticas e representantes de movimentos sociais: “A UEE-SP está a serviço da diversidade, e com cada vez mais legitimidade. Todos que estão aqui vieram para tomar posse. Esse é o pontapé político dessa galera de muita luta”.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo