Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

“Todos contra a liminar da ~cura gay”

Diretor LGBT da UNE, Nilson Florentino Júnior convoca coletivos, entidades e movimentos LGBT a realizarem atos nas universidades, escolas e praças para mostrar indignação contra decisão de juiz do DF

Nos últimos dias fomos bombardeados com uma série de retrocessos, mas a decisão da liminar do juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho, foi a mais absurda. Esta liminar permite que psicólogos ofereçam a terapia de reversão sexual, conhecida como “cura gay”. Este processo de “reversão sexual “ é uma  prática é proibida pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) desde 1999, quando em 1990 a homossexualidade foi retirada da lista de doenças da Organização Mundial de Saúde.

Esta decisão é um passo atrás nos avanços conquistados pela comunidade ao longo dos últimos anos. Pois o uso da via jurídica para intervir num processo de acompanhamento e questionamento das identidades de gênero e sexualidade, como a “redefinição sexual”, passa a tratar nossas sexualidades como doença.  Toda essa questão vai na contramão da nossa luta pela criminalização da LGBTFOBIA.

É preciso ficar atento, pois a ideia da “cura gay” não é novidade e já foi até mote do Projeto de Decreto Legislativo 234/11, do então deputado João Campos (PSDB-GO), que foi retirado de pauta após muita pressão. O Congresso Nacional eleito nestas últimas eleições tem uma orientação bastante conservadora, e uma decisão judicial dessa natureza abre brecha para que se judicialize e se criminalize nossos corpos e nossa própria identidade.

O Conselho Federal de Psicologia estará recorrendo esta decisão liminar, porém é preciso que nós LGBT e as pessoas Pró-LGBT se unam contra essa série de retrocessos. É preciso denunciar todo e qualquer psicólogo que venda o pacote da “cura gay”, não podemos permitir deslegitimarem nossas afetividades, sexualidades e identidades. É preciso realizar um enfrentamento sobre toda essa onda conservadora e fundamentalista, que dia a pós dia querer retirar os direitos e as políticas que garantem o mínimo da cidadania LGBT.

A Diretoria LGBT da UNE convoca a todos os coletivos, entidades e movimentos LGBT a realizarem atos nas universidades, escolas e praças para mostrar nossa indignação com essa decisão e reafirmar nossa luta por políticas públicas para a população LGBT do Brasil.

*Nilson Florentino Júnior é diretor LGBT da UNE e estudante da Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA).

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo