Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

“15 anos de EME construíram uma UNE feminista”

Diretora de Mulheres da UNE, Ana Clara Franco, convoca o próximo encontro de mulheres estudantes da UNE para 30, 31/03 e 1/4

A história da União Nacional dos Estudantes se mistura com a história de luta do Brasil ao longo de seus oitenta anos de existência. Marcada pelo compromisso com o povo, com a democratização do país, com a defesa da universidade e porta voz da bandeira da educação pública, gratuita de qualidade para todas e todos, a UNE também incorporou o feminismo, o combate ao racismo, o o combate a LGBTfobia como questões centrais para entidade e se colocou na linha de  frente dessas lutas. Esse processo colocou na agenda da entidade  os Encontro de Negros e Negras e Cotistas (ENUNE), o Encontro LGBT e o Encontro de Mulheres Estudantes (EME), espaços esses  fundamentais para debatermos, atualizarmos, nos conectamos e nos organizarmos dentro e fora da entidade.

Quinze anos depois do primeiro Encontro de Mulheres Estudantes da UNE, a entidade convoca as mulheres estudantes a se reunirem novamente na sua 8ª edição, com data marcada para os dias 30, 31 de Março e 01 de Abril na Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Em tempos de retrocesso, conservadorismo e de desafios para enfrentar o conflito do capital contra a vida, as mulheres seguem em luta nas universidades, no mundo do trabalho, nos movimentos anticapitalistas, do campo e da cidade, pois acreditam que é através do movimento organizado que, de fato, poderemos construir uma sociedade mais justa para todas.

Vivemos avanços do neoliberalismo e sua face de ataque na educação: o sucateamento das universidades públicas, a mercantilização da educação, as demissões em massas de professores e professoras, os cortes em pesquisa e extensão. O EME também é o espaço para debatermos os caminhos e respostas que o feminismo constrói de resistência a este momento da conjuntura.

O conservadorismo avança sobre nossos corpos e nossas vidas, vivemos cada vez mais ataques de uma bancada política conservadora que nos diz como nós devemos viver. É necessário mais que denunciar, é necessário propor alternativas que nos permitam viver livres em todos os espaços.

As mulheres estão se movimentando diariamente na resistência. Se movimentar é uma forma de resistir a tudo que nos é imposto e propor um novo modelo de sociedade.

Durante os sete EMEs da UNE, nos movimentamos, gritamos que somos todas feministas, discutimos sobre aborto, sobre cultura, sobre mercantilização dos corpos, sobre assistência estudantil e sobre reforma universitária.

Com gritos de “Abre alas que as mulheres vão passar” – mote do terceiro encontro, realizado no ano de 2011-, nós construímos neste período o maior encontro de mulheres estudantes da América Latina e construímos acima de tudo uma entidade feminista.

E se no EME passado as Vozes Feministas ecoaram por todo Brasil, queremos que nosso grito seja ainda mais forte. Por isso durante esses três meses de preparação para o 8º EME da UNE, nós contaremos um pouco da história e da mobilização de cada um dos encontros anteriores. A Diretoria de Mulheres estará das universidades, Diretórios e Centros Acadêmicos e calouradas convocando as mulheres estudantes a participarem e construírem novamente este encontro.

Esperamos todas na Universidade Federal de Juiz de Fora!

*Ana Clara Franco é diretora de Mulheres da UNE e estudante da Universidade Federal de Minas Gerais. 

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo