Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

UNE e UBES fazem democracia falar mais alto em Brasília

13/11/2015 às 18:24, por da Redação.

Passeata de 7 mil estudantes, junto à Frente Brasil Popular, ficou marcada como uma das maiores respostas aos movimentos golpistas em 2015

A sexta-feira 13 foi dia de azar para os que querem um golpe no Brasil. Nada de mensagens de ódio, nada de violência contra as instituições democráticas, nada de elogio à ditadura, ao retrocesso, ao atraso. Quem falou foi a juventude de todo o país que realizou uma grande manifestação na capital federal e mostrou a sua força para evitar qualquer tentativa ilegítima de mexer nas regras do jogo. A passeata da UNE e da UBES, junto aos movimentos da Frente Brasil Popular, reuniu sete mil pessoas que caminharam do Parque da Cidade até o Congresso Nacional, deixando um recado bem dado para todos os que estão ali.

A manifestação, que faz parte do Congresso da UBES em Brasília, também teve como pontos principais o repúdio ao presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha e críticas ao ajuste fiscal do governo federal que tem promovido cortes e a retirada de direitos. “Essa é a juventude combativa, que está aqui para falar muito alto que esse Congresso não nos representa, para dizer que não queremos a redução da maioridade penal, não queremos o Estatuto da Família, não queremos o PL 5069 que penaliza as mulheres. Eles não passarão”, disse a presidenta da UBES Bárbara Melo, do alto do carro de som.

Na linha de frente do ato, caminhavam somente mulheres, representando a atual importância da afirmação de gênero no movimento estudantil, que tem presidentas em suas principais entidades. Foi a líder da UNE, Carina Vitral, que também conduziu grande parte do protesto e que deixou uma mensagem ao pequeno grupo pŕo-impeachment instalado nos gramados do Congresso Nacional: “Os jovens estão é aqui, do nosso lado, porque defendemos os seus direitos. A juventude não embarca em movimentos criados por meia dúzia de lideranças falsas”, criticou. A passeata dos movimentos foi completamente pacífica, em oposição à postura dos grupos golpistas acampados no local, noticiados na imprensa no mesmo dia pela apreensão de armas com um dos seus integrantes.

UNIDADE POPULAR

A Frente Brasil Popular, que participou da manifestação junto aos estudantes, levou as reivindicações das principais entidades populares do país. O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, lembrou da luta contra as terceirizações e a ameaça aos direitos trabalhistas falou. Já a representante de juventude do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) ressaltou a defesa da reforma agrária e a criação de politicas para mulheres do campo. Janeslei Albuquerque, secretária de movimentos sociais da CUT (Central Única dos Trabalhadores), criticou a política econômica do país e a falta de um modelo que beneficie a classe trabalhadora.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo