Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

UFTM: Candidata derrotada nas eleições é nomeada reitora temporária pelo MEC

06/12/2018 às 16:57, por Renata Bars.


Estudantes e toda a comunidade universitária criticam a posição do órgão e exigem respostas

A escolha para a reitoria da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) vem gerando polêmica entre a comunidade universitária. Isso porque a candidata derrotada Ana Lúcia de Asssis Simões foi indicada reitora temporária pelo Ministério da Educação (MEC) em detrimento ao candidato vencedor, o professor Fábio César da Fonseca. O órgão alega irregularidades no processo de composição da lista tríplice, o que é contestado pelos estudantes.

”O professor Fábio foi o vencedor. O voto do corpo discente garantiu a sua vitória. A chapa derrotada pediu recontagem dos votos, fizemos isso e confirmamos novamente a vitória do professor. Contudo, o MEC questionou o resultado e ainda nomeou a chapa com menos votos para permanecer na reitoria”, falou a estudante de terapia ocupacional Júlia Morais, representante discente na eleição.

Neste mês de dezembro completam-se 100 dias da nomeação da professora Ana Lúcia como reitora temporária. Os estudantes fizeram mobilizações, mas sentem-se impotentes diante da posição do Ministério.

”Nos sentimos lesados. Parece que nossa voz não tem força na universidade. Foram os estudantes que optaram pelo professor Fábio, com um número significativo de votos”, destacou Júlia.

Nas universidades federais, a eleição para reitor acontece em duas fases: uma consulta informal à comunidade universitária, e uma votação no Conselho Máximo da Universidade, que elabora uma lista tríplice com os três nomes mais votados a ser enviada para o MEC. Os votos estudantis representam 1/3 do peso necessário para eleger um reitor.

Segundo ofício enviado pelo MEC à UFTM a “ elaboração de lista tríplice da UFTM não se encontra em consonância com as disposições legislativas sobre a matéria no que diz respeito à atribuição de peso de 70% aos votos dos docentes e à competência exclusiva do Colegiado Máximo da universidade ou de Colégio Eleitoral para elaboração da lista tríplice.”

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo