Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Uerj ocupada! Estudantes protestam contra o corte de verbas

01/12/2015 às 18:45, por Renata Bars.

Bolsistas, residentes e funcionários terceirizados estão sem pagamentos; atividades acadêmicas chegaram a ser paralisadas

Em protesto contra os cortes anunciados pelo governo do Estado, integrantes do DCE da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e dezenas de estudantes ocuparam na noite da última segunda-feira (30) dois campi da instituição, localizados no bairro do Maracanã e na cidade de São Gonçalo. Sem aulas desde o dia 24 de novembro, por conta da descontinuidade dos serviços terceirizados, os manifestantes exigem respostas concretas sobre os pagamentos dos funcionários e também dos bolsistas e residentes.

Para a diretora de universidades públicas da UNE, Graziele Monteiro, que está desde o início na ocupação, a situação de descaso na instituição chegou ao limite.

“Há tempos a Uerj  vem sofrendo com a negligência do governo estadual. Os cortes já chegam a 500 milhões. Já estão previstos mais 80 milhões no próximo orçamento. A ocupação é importante para pressionar e dar visibilidade ao que acontece na instituição’’, ressaltou.

A Uerj foi a primeira universidade estadual do país a adotar o sistema de cotas, no ano de 2003. Todo aluno oriundo do sistema de cotas tem direito à Bolsa Permanência, que vigora durante todo o curso universitário do estudante cotista que mantiver a condição de carente em cumprimento da Lei 5346, sancionada em 11 de dezembro de 2008. Atualmente, 40% das vagas oferecidas são destinadas ao estabelecimento de políticas afirmativas. 

‘’ Não dá pra ter aula sem que os alunos bolsistas tenham o dinheiro para chegar até a universidade. Já teve quebra de acordo da reitoria no pagamento. Agora nem previsão tem’’, lamentou Graziele.

Em nota publicada no Facebook, o DCE afirmou que ‘’sem perspectiva de receber bolsa, os estudantes se recusam a ter aula e ter provas sem que o governo do estado dê respostas satisfatórias. São 33.000 alunos sem aula, por causa dos 46% de cortes na educação propostos pelo governo Pezão’’.

Uma assembleia está sendo realizada neste fim de tarde no campus Maracanã. Em breve o site da UNE trará mais informações sobre os encaminhamentos.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo