Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Sem água nos alojamentos, estudantes da UFRRJ ocupam casa do reitor

05/10/2017 às 17:57, por Renata Bars.

UFRRJ - campus Seropédica
Hudson Pontes

Imóvel anexo ao campus não é utilizado e permanece ocupado há cerca de quatro dias

A persistente falta d’água nos alojamentos levou os estudantes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), campus Seropédica, a ocupar a casa do reitor – imóvel anexo ao campus, na noite da última segunda-feira (2). A casa de dois andares não é utilizada e permanece ocupada há cerca de quatro dias.

O problema teve início no dia 25 de setembro com abastecimento irregular. Já no dia 29, a água dos alojamentos foi totalmente interrompida. Segundo informações do DCE, a administração na universidade não prestou esclarecimentos, culminando na ocupação.

”Os estudantes/ME da Rural decidiram organizar e executar uma intervenção em forma de banhaço na casa do Reitor, pois a falta de água permanecia mesmo após o contato com a pró reitoria. Após nos dirigirmos até o local, foi feita uma ligação para a vice Pró-Reitora informando que se não aparecesse alguém responsável pelo caso, nós ocuparíamos este espaço e só sairíamos daqui quando nossas demandas, desta vez não só a de água, fossem atendidas. Então, diante de um não comparecimento e um membro da administração, os estudantes deram início ao processo de ocupação do espaço”, diz nota divulgada pelo DCE em página na rede social.

OUTRAS DEMANDAS

Juntamente com a normalização do abastecimento de água, outras demandas são reivindicadas. Iluminação, segurança, pagamento dos salários atrasados dos terceirizados, fim da superlotação dos alojamentos e pagamento das bolsas de permanência, monitoria e apoio técnico são itens exigidos pelos estudantes.

”A universidade está passando por uma série de cortes, assim como todo o Brasil. O reitor quer privatizar o bandejão porque não tem dinheiro, a universidade não está recebendo verba pública suficiente e tem sérios problemas na assistência estudantil”, falou a diretora de Cultura da UEE-RJ e estudante da UFRRJ, Isabela Freitas, que está na ocupação.

Em contato com a universidade, o site da UNE foi informado que ”uma equipe da Cedae (Companhia de Abastecimento do RJ) já está providenciando reparos na rede, que devem ser concluídos ainda hoje. Além disso, a universidade conseguiu minimizar a situação com a contratação de carros-pipa em caráter emergencial.”

EM DEFESA DA UNIVERSIDADE PÚBLICA

Nesta quinta-feira (05/10) a UNE lançou sua campanha nas redes #UniversidadeNãoSeVende.

Na reunião da Gestão Plena da UNE realizada nos últimos dias 22 e 23 de Setembro os mais de 80 diretores da entidade, estudantes de universidades de todas as regiões do Brasil aprovaram um manifesto em defesa da universidade pública que deve será compartilhado com os movimentos sociais e entidades do setor educacional a fim de expandir a luta em defesa do “bastião da nossa independência e da nossa livre produção de conhecimento”.

Para a UNE em tempos de crise o país deve investir ainda mais no ensino superior, fortalecendo a democratização das universidades, sem abrir mão da gratuidade. Leia os 10 motivos por que a UNE defende a universidade pública e gratuita.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo