Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Retrospectiva 2015/2017: Bienal da Reinvenção

12/06/2017 às 12:47, por Redação .

Cortejo de abertura da 10ª Bienal da UNE
Cuca da UNE

Última matéria da série que relembrou os momentos marcantes dessa gestão da UNE recorda o maior festival estudantil da América Latina

Foram 4 dias de ocupação, criatividade e irreverência. De 29 de janeiro a 1º de fevereiro de 2017, a 10ª edição da Bienal da União Nacional dos Estudantes transformou o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, com mais de 5 mil estudantes de outros estados.

Foram mais de 100 atrações,15 shows, 70 convidados, 1.140 trabalhos inscritos na maior mostra estudantil de arte do Brasil e um público total de mais de 70 mil pessoas. Gente como Emicida, Fernando Haddad, José Celso Martinez Corrêa, Gaby Amarantos, Franklin Martins, Ciro Gomes, Luciana Genro, Eryk Rocha e Juca Ferreira passaram por lá e deram sua contribuição.

Palco montado na Praça Almirante Saldanha

Debates, apresentações artísticas de teatro, artes visuais, cinema, literatura, exposição de projetos de Ciência e Tecnologia e Extensão mostraram a cara da arte universitária brasileira. O maior evento da UNE foi construído com muita luta na gestão 2015/2017 diante de uma conjuntura política conturbada, recessão, sem incentivo ou muitos recursos. O conteúdo do festival refletiu o momento: reflexões sobre democracia, golpe, arte engajada e muita vontade de reinventar um futuro melhor. Realizada pela quinta vez no nordeste, a Bienal também ampliou os vínculos da UNE com essa região do país e com a cultura local.

“Além de trazer a cultura para o foco e mostrar a diversidade do nosso país, essa Bienal, nesse momento histórico do país, foi um momento de grande convergência e construção de unidade entre os movimentos sociais e culturais, para enfrentar os desafios do ano que se inicia”, destacou a presidenta da UNE, Carina Vitral.

CUCA NA BIENAL

Parte fundamental da construção da 10ª Bienal da UNE, o CUCA realizou uma cobertura coletiva abrangente com estudantes de todas as áreas que se revezaram em foto e vídeo, movimentando as redes e dando um colorido especial para as imagens do festival.

Além disso, o Cuca realizou um seminário durante todo o festival com objetivo de discutir a área da cultural diante da perspectiva da resistência ao golpe, fazer um balanço e elaborar um planejamento de ações para o ano de 2017. Uma assembleia também foi realizada para eleger a nova coordenação da rede. A estudante de design da Universidade de Sorocaba (Uniso) Camila Ribeiro foi eleita para a coordenação geral.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo