Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

#OcupaTudo tem mais de 200 universidades ocupadas em todo o Brasil

10/11/2016 às 14:16, por Cristiane Tada.

Sob constantes ameaças e hostilização  movimento de ocupações de universidades e instituições de ensino só aumentam em todo o Brasil

Nesta segunda-feira (14) já são mais de 221 instituições de ensino superior ocupadas por estudantes em um movimento considerado pela UNE o maior da nossa história.

“Uma mobilização tão grande e unificada só teve precedente durante o governo neoliberal de FHC, há mais de 15 anos atrás, que encontrou no movimento estudantil um dos seus principais pontos de resistência”, destacou a presidenta da UNE, Carina Vitral.

Acompanhe no facebook da UNE a atualização das ocupações:

Na quarta-feira (9) a reitoria da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) em Mossoró foi ocupada seguindo o levante em todo o Brasil contra a PEC 55 (antiga 241) que vai congelar os investimentos em educação e promover um verdadeiro sucateamento do ensino.

No Rio Grande do Sul foi o Centro de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Já são 9 cursos paralisados (Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Propaganda, Produção Editorial, Filosofia, História, Ciências Sociais, Serviço Social e Psicologia).

Mais uma ocupação de universidade privada também aconteceu, agora em Porto Alegre na PUCRS. No ensino privado os estudantes temem aos efeitos da PEC sobre programas como ProUni, Fies e ajustes de custos que podem aumentar a mensalidade e diminuir a qualidade do ensino.

A Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) primeira universidade a ser ocupada no Estado de Minas Gerais, a resistência dos estudantes já dura 27 dias. Hoje, já são 26 ocupações no Estado que seguem na luta contra a PEC 55.

Ataques não nos intimidarão!

Na quarta (9),  a presidenta de UNE e a presidenta da UBES, Camila Lanes chegaram a ser impedidas de entrar no Senado para Audiência Pública sobre a MP do Ensino Médio em que foram convidadas a participar.

“É por isso que estamos ocupando escolas e universidade, aqui no Senado Federal não tem diálogo”, afirmou Carina.

No inicio da semana o Ministério da Educação ameaçou processar as entidades estudantis em uma tentativa clara de censurar o direito à livre manifestação dos estudantes.

Leia aqui a nota das entidades estudantis sobre a postura do MEC.

Em meio a luta crescente das instituições educacionais em todos os cantos do Brasil a União Nacional dos Estudantes convocou todas as ocupações estudantis e os 85 diretores da entidade para uma reunião nos próximos dias 14 e 15 de novembro, na Universidade de Brasília (UnB), na capital federal.
“Queremos debater o papel das ocupações e os próximos passos de enfrentamento a PEC que quer acabar com a educação pública brasileira”, ressaltou o diretor da UNE, Rarikan Heven.

No dia 15 de novembro haverá ainda uma reunião conjunta de todas as entidades estudantis, UNE, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e a Associação Nacional dos Pós Graduandos (ANPG) e e várias entidades do movimento educacional como Andes, PROIFES, Fasubra, CNTE, Contee.

Para Eduardo Rolim de Oliveira, presidente da Proifes, federação que reúne sindicatos de professores federais de todo o País, a união é essencial para “vencer a batalha na opinião pública”.

“A principal questão em discussão é sensibilizar a sociedade a respeito dos malefícios da emenda. Se não fizermos isso, vamos perder o debate no Senado. Pois a opinião pública acaba convencida de que é isso mesmo, é preciso cortar estes gastos para melhorar a gestão do País. Com a cobertura da mídia atual, vende-se esta ideia e que está tudo bem. Precisamos convencer as pessoas de que é o contrário. Por isso é importante a união dos servidores, professores e estudantes, para ter um discurso afinado e vencer a batalha na opinião pública”, afirmou. >>>Leia a entrevista dele para o site da UNE.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo