Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

“O mundo do trabalho e a juventude” em debate no 64º CONEG

15/07/2016 às 19:04, por Diogo Silva, colaboração para o CONEG.

Mesa em encontro de DCES organizado pela UNE trouxe tema importante e de interesse para jovens e estudantes

Em um momento de crise política e desemprego no Brasil, principalmente entre os jovens, a mesa “O mundo do trabalho e o desemprego na juventude” realizada durante o 64º CONEG da UNE levantou debate sobre os aspectos que levaram a esse cenário, as projeções e os caminhos para entender e enfrentar o problema.

De acordo com dados apresentados pela Coordenadora Nacional do Sistema de Pesquisa de Emprego e Desemprego do Dieese, Lúcia dos Santos Garcia, “no Brasil chegamos a registros de 35 a 40 por cento de desemprego nas regiões metropolitanas”. Ou seja, “a cada 10 desempregados, 4 são jovens”, disse.

Crise do capitalismo

A Coordenadora chamou a atenção para os determinantes básicos do desemprego dentro do capitalismo. “Ele [o sistema capitalista] não é planejado, opera com uma margem de ociosidade de recurso de trabalho, expulsa os trabalhadores do cerne produtivo por meio da substituição tecnológica de homens por máquinas e gera mais desemprego ainda quando entra em crise aguda. No caso do Brasil, ainda há uma ‘sobrecrise’, que se assenta nessa crise estrutural mundial”, analisou.

“A crise internacional que se abateu sobre o país e sobre o mundo foram muito fortes, a queda no preço das commodities e outros fatores colaboraram para esse cenário. Você assiste números de quase pleno emprego de 2003 a 2013 e, em menos de dois anos, há uma reversão desse quadro”, lembrou Artur Henrique, Secretário de Trabalho da cidade de São Paulo. De acordo com ele, a diminuição do número de jovens que não foram para o mercado de trabalho, mas permaneceram nos estudos, entre 2003 e 2013 “foi fundamental para melhorar a qualidade de vida das pessoas em um país que se quer mais justo, mais democrático, com mais oportunidades para todos”.

“Infelizmente, a regressão democrática que se mostra é forte. O papel da UNE e das demais entidades de esquerda  é fundamental para mobilizar a juventude e trabalhar em uma grande frente em torno dessas lutas democráticas que o Brasil tanto precisa, contra os retrocessos”, concluiu Artur.

PRÉ-SAL EM RISCO

coneg_juventude_trabalho_2Na Unip, em SP, UNE organiza mesa “Trabalho e Juventude” 

Para a secretária de Juventude da CUT, Cibele Vieira, a questão do aumento de desemprego entre jovens é também um reflexo na diminuição da renda das famílias. “Conforme vai aumentando a renda da família brasileira, você aumenta a quantidade de jovens que conseguem ficar voltados apenas para o estudo. A crescente do desemprego pode representar que a renda da família diminuiu e o jovem voltou a procurar emprego e / ou o jovem empregado perdeu o emprego”, observou Cibele.

Outro aspecto colocado em discussão foi a destinação de recursos do pré-sal para a educação, afetada diretamente pelo governo golpista de Michel Temer e ameaçada por meio de um projeto do senador e ministro ilegítimo das Relações Exteriores, José Serra, que quer tirar da Petrobras a exclusividade da exploração das camadas de pré-sal.

“O pré-sal poderia ser uma garantia da ampliação da qualidade da educação e, em consequência, de melhores condições de trabalho”, defendeu Cibele.

→ Assista documentário sobre a importância do recursos naturais que temos em solo nacional:

FUTURO, À LUTA

“A análise sobre o que vai acontecer nesse ano é negativa. A visão positiva é a possibilidade de aumento da unidade na luta. Não é a primeira nem a última crise. O momento é de luta para resistir”, convocou Cibele.

Lúcia do Dieese também convocou a mobilização ao dizer que “temos uma pauta grande de luta e de trabalho”. Otimista, ela enxerga que provavelmente o cenário que vai atingir a juventude não será “tão agudo quanto nos anos 90” e alertou: “Já está mais do que na hora das entidades ampliarem ainda mais a discussão sobre esse tema para o debate público, com a construção de uma narrativa que possa superar a naturalização do desemprego”.

 

Fotos: Vitor Vogel – CUCA da UNE

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo