Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Nenhum direito a menos! Estudantes e trabalhadores tomam as ruas de SP

26/06/2015 às 16:55, por Renata Bars.

Marcha protestou contra a ofensiva das pautas conservadoras no Congresso Nacional

Estudantes e trabalhadores uniram-se na tarde da última quinta-feira (25/6), em São Paulo, em uma grande manifestação contra o ajuste fiscal do governo federal, estados e municípios e contra a ofensiva das pautas conservadoras no Congresso Nacional. Intitulada ‘’Quinta vermelha’’ a marcha reuniu mais de 30 mil pessoas no centro da capital paulista.

Organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) em conjunto com outras 24 frentes de luta, entre elas a dos estudantes da UNE, UBES e ANPG, das centrais sindicais como CUT e CTB, o movimento rechaçou a proposta que propõe a redução da maioridade penal, o projeto de lei das terceirizações e a PEC da Corrupção que legitima o financiamento empresarial de campanhas eleitorais.

Segundo o líder do MTST, Guilherme Boulos, o ato ”simbolizou a luta contra a ofensiva antipopular que tem ocorrido, tanto com o governo federal, com o ajuste [fiscal], quanto com o Congresso Nacional”

UNE PRESENTE

A presidenta da UNE, Carina Vitral esteve presente na manifestação e do alto do carro de som deixou o recado dos estudantes. ‘’Essa é uma luta que mostra a unidade dos movimentos contra a direita e contra o ajuste fiscal que retira direitos dos mais pobres. O MTST e os trabalhadores tem todo o nosso apoio’’, falou.

Os integrantes dos trabalhadores sem-teto reivindicavam também a liberação imediata do Programa Minha Casa, Minha Vida 3, que segundo o Ministério das Cidades, só será lançado no final de agosto.

”Não vamos aceitar que reduzam a política de moradia, não vamos aceitar que cortem o dinheiro da educação, não vamos aceitar que terceirizem o serviço da classe trabalhadora. A UNE se junta a essa luta para dizer não, para dizer que os movimentos sociais continuam ocupando as ruas para garantir todos os direitos e garantir que o Brasil continue avançando”, disse o diretor da entidade estudantil, Rarikan Heven.

Assista ao vídeo:

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo