Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/une/public_html/site/wp-includes/post-template.php on line 284
UNE - União Nacional dos Estudantes » Mulheres Negras vão marchar em defesa de suas vidas e contra o racismoMulheres Negras vão marchar em defesa de suas vidas e contra o racismo Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias


Warning: Illegal string offset 'sizes' in /home/une/public_html/site/wp-content/themes/une_2015/single-noticias.php on line 61

Warning: Illegal string offset 'title' in /home/une/public_html/site/wp-content/themes/une_2015/single-noticias.php on line 63

Últimas Notícias

Mulheres Negras vão marchar em defesa de suas vidas e contra o racismo

17/11/2015 às 12:43, por Cristiane Tada.

<br />
<b>Warning</b>:  Illegal string offset 'alt' in <b>/home/une/public_html/site/wp-content/themes/une_2015/single-noticias.php</b> on line <b>127</b><br />
2

Marcha acontecerá no próximo dia 18, dois dias antes do dia da Consciência Negra

Na próxima quarta-feira (18) dois dias antes da comemoração do dia da Consciência Negra, acontecerá em Brasília, pela primeira vez no Brasil a marcha das Mulheres Negras. O ato político vai reunir mulheres de todo o Brasil, trabalhadoras, camponesas, quilombolas, algumas organizadas em coletivos, movimentos negros, feministas, que vão manifestar o orgulho da sua cor e representar a voz das 54,9 milhões de brasileiras que se declararam pretas ou pardas, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2014).

A caminhada sairá do Estádio Nilson Nelson a partir das 9h da manhã e vai até a Explanada dos Ministérios. Vão acontecer atos culturais, rodas de conversas, shows e diversas atividades. Consulte a programação completa aqui .

Para a diretora de Mulheres da UNE, Bruna Rocha, é fundamental a organização da mulher negra, sujeito político mais potente e resistente e que passa pelas opressões mais profundas no Brasil.

“Esse momento de mobilização é muito significativo, acreditamos que já vimos de um ciclo de atividades muito bem sucedidos organizado por mulheres, como a Marcha das Margaridas que tinha grande protagonismo das mulheres negras também , a marcha do Empoderamento Crespo em Salvador, a marcha do Orgulho Crespo em São Paulo, e toda essa primavera das mulheres contra o PL5069”, afirma.

Para ela apesar do acirramento das pautas que retiram direitos das mulheres a conjuntura de mobilização tem sido muito positiva.

“Se nós mulheres conseguirmos dar o tom das lutas dessa primavera vamos abrir alas para um verão de muitas conquistas e sem dúvida alguma a marcha é um encerramento glorioso para este ciclo que acredito que será muito impactante e um novo marco para a organização das mulheres negras no Brasil”, afirmou ela.

Perfil das vítimas: dezoito anos de idade e negra

O Mapa da Violência 2015 – Homicídio de Mulheres no Brasil analisou dados oficiais nacionais, estaduais e municipais sobre óbitos femininos no Brasil entre 1980 e 2013. E o perfil das mulheres que morrem no país é amedrontador para as jovens negras.

Em relação aos dados totais da pesquisa, o estudo revela que entre os anos de 2003 e 2013 foram mortas 46.186 mulheres. Desse total, 25.637 eram negras, ou 55%. As mulheres brancas assassinadas no período foram 17,5 mil, ou 37% do total.

Enquanto o número de mortes de mulheres brancas caiu quase 10% entre 2003 e 2013 (de 1747 para 1576), os casos de mulheres negras saltaram mais de 54% no mesmo período, passando de 1864 para 2875.

Em 2013, no último ano levado em conta pelo estudo, o maior índice de mortes registrado foi entre mulheres de 18 anos: 3,6% dos 4.762 dos óbitos (168 mulheres). Além disso, os índices mostras que 31,2% dos homicídios aconteceram na rua e 27,1%, no domicílio.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo