Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Marcha de líderes reúne 10 mil uruguaios por 6% do PIB para educação

18/08/2015 às 18:20, por Cristiane Tada.

Ato uniu homenagem aos estudantes mortos e pressão na aprovação do orçamento do país

No último dia 14, uma passeata reuniu 10 mil estudantes pelas ruas da capital do Uruguai. A marcha saiu do auditório da Faculdade de Direito da Universidade da República Uruguay e terminou na Praça Primeiro de Maio em frente ao Palácio Legislativo.

Tradicionalmente o dia 14 de agosto no Uruguai é dia de luta para o movimento estudantil.

A data mata marca o assassinato do estudante Liber Arce, militante da Federación de Estudiantes Universitarios del Uruguay (FEUU) e integrante da Unión de la Juventud Comunista (UJC) assassinado em 1968 pela polícia em uma manifestação. Por isso, todos os anos nesta data se realiza em Montevidéu uma passeata em homenagem aos mártires estudantis que foram assassinados lutando pela democracia e por uma educação pública de qualidade.

O secretário executivo da Organização Continental latino-americana e Caribenha de Estudantes (Oclae), Rafael Bogoni, esteve presente na marcha.

“Foi uma manifestação muito bonita, com todos os grêmios mobilizados, estudantes secundaristas em peso, e massiva participação dos universitários. A chuva não atrapalhou e os estudantes entoaram muitas palavras de ordem que reivindicavam desde o 6% do PIB para a educação até a memória dos seus mártires estudantis”, afirmou.

A mobilização estudantil se intensificou devido ao período de aprovação do orçamento do País. Ele explica que este ano até o dia 31 de agosto o Executivo do Uruguai deve enviar uma proposta orçamentária para o legislativo que terá 90 dias para votar. Por isso até o final de novembro os estudantes uruguaios prometem muita luta e pressão nas ruas e com os parlamentares reivindicando o investimento de 6% do PIB em educação.

O secretário de Relações Internacionais da FEUU, Martín Randall, afirmou que a população uruguaia está identificada com a necessidade de investimento da educação.

“Esta marcha foi a terceira do ano. É um processo de mobilização que vem desde o começo do ano tendo o primeiro ato ocorrido dia 27 de abril, dia do aniversário da FEUU. A segunda foi no dia 17 de junho em uma paralisação nacional dos estudantes. A próxima está sendo convocada para o dia 27 de agosto com participação também dos trabalhadores e da população em geral defender a pauta dos estudantes”, explicou Randall.

Bogoni

Rafael Bogoni, secretário da Oclae e Federico Perez Muniz, secretário da FEUU

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo