Manifesto da 10ª Bienal da UNE: “Feira da Reinvenção”

“Tinha uma vendinha no canto da rua Onde o mangaieiro ia se animar Tomar uma bicada com lambu assado E olhar pra Maria do Joá” (Sivuca e Glorinha Gadelha) Reinventar é um brado, uma necessidade, uma ardência originária nascida com o Brasil. Para curar a doença, reinventa-se o remédio ou o próprio doente. Para curar a alma, reinventa-se a reza, o ritmo ou a música do festejo. Para curar-se da queda, reinventa-se a receita da volta por cima. Há sempre … Continue lendo Manifesto da 10ª Bienal da UNE: “Feira da Reinvenção”