Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Literatura coloca Norte-Nordeste, negros, mulheres e trans no centro da Bienal

19/01/2017 às 13:42, por Cristiane Tada.

Mostra da 10ª Bienal da UNE reflete um Brasil periférico e uma universidade mais democrática e engajada

A reinvenção da 10ª Bienal da UNE começa definitivamente pelas letras. Literatura foi a linguagem mais desejada pelos estudantes de todo o Brasil. Foram 347 trabalhos inscritos de todas as regiões do Brasil e quase todos os estados. Os selecionados: 28 poesias, 7 contos e 2 crônicas.

Quase metade deles, 17, do Norte- Nordeste. “ O Acre foi minha maior surpresa. De lá vieram os melhores trabalhos, os que, eu já zureta, lembrava como marca num dia de leituras. Teve também o Rio Grande do Norte e Minas, com seus interiores de Lavras, Uberlândia e Uberaba”, contou a coordenadora da Mostra, Brenda Amaral.

E a geografia definitivamente influenciou no conteúdo dos textos. Como a poesia “Acre, meu exílio”, de Remilson Queiroz Júlio, da Universidade Federal do Acre (UFAC), que fala das revoltas que o povo acreano passou para se integrar ao território brasileiro. “Sou da terra de guerreiros, Que lutaram e morreram, Para que hoje eu possa, Ser chamado de brasileiro (…)”.

Para o coordenador da caravana do Acre, Jefrey Caetano, a história de luta da federação e o incentivo cultural dado à literatura no estado, e a mobilização deles nas 4 grandes universidades para a participação na 10ª Bienal da UNE influenciaram no sucesso dos estudantes acreanos na Mostra Selecionada.

“Surgimos dessa história da borracha, do Chico Mendes, mestre Irineu, o Ayahuasca, a luta do seringueiros, a expansão do estado com os nordestinos trabalhando além do misticismo que se confunde com o DNA dos brasileiros. Tudo isso junto à imaginação dos estudantes”, explicou, Jefrey, sobre a “reinvenção” que o Acre trará para esta Bienal.

Dor e engajamento

Dentro do critério de “Literatura Marginal”, as temáticas também surpreenderam.

O suicídio foi um tema recorrente. “Coisa de poeta, desde Werther e sempre, mas nossos estudantes, sim, pensam na morte pra aliviar a dor. Muitos inscritos são contos e poesias que tratam do suicídio. Por isso, precisamos falar sobre isso! A escuridão tem um não sei o quê de santo”, pondera Brenda.

O engajamento dos motes também refletem uma universidade mais plural, com o protagonismo de negros, mulheres e trans nas rimas e prosas selecionadas.

“Não teve muitos trabalhos só de arte pela arte, sabe? A maioria dos temas é sobre a vida marginal e a luta por direitos desses estudantes. Muita literatura de feministas negras, já nos meninos sobre a vida nas favelas, o tráfico, a desigualdade, educação”, elencou a coordenadora da Mostra.

Como a poesia “Ode a Mulher Negra”, da estudante da Universidade De Brasília (Unb), Isabelle Prado .

“A mulher negra /Tudo apenas é, A esplêndida / Forma bela de ser / A pele que brilha/O cabelo que chama / A luta diária que a acompanha (…)” .

Ou “Marginário”, do estudante Higor Porfirio Ferreira de Oliveira, da Universidade Federal De Campina Grande (UFCG), na Paraíba.

“ (…) Vão querer rebaixar o meu eu/ Não me esqueço de onde eu vim/ A favela que me fortaleceu/ E eu quis um sonho pra mim (…)”.

Os 37 trabalhos selecionados serão apresentados na Mostra Selecionada de Literatura dentro da programação oficial da 10º Bienal da UNE. A programação deve trazer ainda um Sarau com o microfone aberto. Traga sua rima, o seu beat, a sua poesia.

Serviço

O que? 10ª Bienal da UNE

Quando? De 29 de Janeiro a 01 de Fevereiro de 2017.

Onde? Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Fortaleza, Ceará.

Quanto? R$150 até o dia 25 de janeiro. Cotistas e prounistas tem 30% de desconto até a mesma data. No dia do evento, a inscrição pode ser feita no local do credenciamento no valor de R$ 200.

Informações: bienaldaune.org.br

Confira todos os selecionados da mostra de literatura

“Não Haverá Paz No Brasil”
Dara Sant’anna Carvalho Ignacio – Universidade Federal Fluminense (Uff), Rio De Janeiro

“Expiação”
Felipe Gomes Zanon – Universidade Federal do Acre (UFAC), Acre.

“Acre, Meu Exilio”
Remilson Queiroz Júlio – Universidade Federal do Acre (UFAC), Acre.

“Ponta Negra, O Último Ponto”
Romário João Anulino Da Silva – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Rio Grande do Norte.

“Poemafísica P = M.G”
Paulo Sady Ayres De Aquino – Faculdade Ideal, Pará.

“Estúpida Retórica (Intertexto)”
Gabriela Albano Lins – Universidade Federal Do Rio Grande Do Norte (UFRN), Rio Grande do Norte.

“Sem Partido e Sem Escola”
Ibere Marti – Universidade Federal De Lavras (UFLA), Minas Gerais.

“Viagem”
Christian Victor De Oliveira Coelho – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Minas Gerais.

“Vozes Que Externam O Coração Brasileiro”
Thamires Fernandes De Assunção – Universidade Federal Rural De Pernambuco (UFRPE), Pernambuco.

“Pestilência: Caquexia”
Lucas Marchetti Ribeiro – Universidade Federal Da Bahia (UFBA), Bahia.

“Café Amargo”
Lara Rana Rodrigues Aguiar – Universidade Federal Do Tocantins (UFT), Tocantins.

“Lascas De Uma Mente Feminista”
Iarima Bellan Peixoto – Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio de Janeiro.

“Poço No Limbo”
Álamo Pascoal Das Neves Filho – Universidade Federal Do Ceará (UFC), Ceará.

“Cabelo Duro”
Brenda Caroline Santos Da Silva – Universidade Federal Do Maranhão (UFMA), Maranhão.

“Terceirização é Prostituição”
Carlos Gabriel Moreira De Sousa (Yukari Moreira) – Universidade Federal Do Sul E Sudeste do Pará (UNIFESSPA), Pará.

“Submissão Ou Resistência?”
Antonio Artequilino Da Silva Neto – Pontifícia Universidade Católica De São Paulo (PUC), São Paulo.

“O Golpe Veio A Galope”
Karine Silva Oliveira –  Universidade Do Estado De Minas Gerais (UFMG), Minas Gerais.

“Dos Tempos Se Fez”
Brenda Hannauana Almeida De Lima e João Câmara – Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Rio Grande Do Norte (IFRN), Rio Grande do Norte.

“Saudade”
Lúcio Alves Gurgel Junior – Universidade Federal Do Ceará (UFC), Ceará.

“O Vazio Que Habita Em Mim Saúda O Vazio Que Exite Em Ti”
Osmar Rosa De Lima Filho – Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

“Darwinismo Psicológico”
Daniel De Araujo Pereira – Universidade Estadual De Campinas (Unicamp), São Paulo.

“O Meu Amor É Revolução”
Bruna Matos De Carvalho – Universidade Federal De Viçosa (UFV), Minas Gerais.

“Special”
Vinícius Freitas Tomas – Universidade Federal Rural Do Rio De Janeiro (UFRRJ), Rio de Janeiro.

“A Todo Vapor”
Lázaro Santana Santos – Universidade Tiradentes (UNIT), Sergipe.

“Sexo Em Verso”
Heric Pinheiro – União Educacional Do Norte (Uninorte), Acre.

“A Bahia De Jorge Amado”
Rita De Cassia Gomes Lopes Rio Branco – Universidade Federal do Acre (UFAC), Acre.

“I-Marginário”
Higor Porfirio Ferreira De Oliveira (Porfirio) – Universidade Federal De Campina Grande (UFCG), Paraíba.

“Poesia De Bolo”
Roniely Soares De Almeida – Universidade Federal Do Estado Do Rio De Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro.

“Perdas”
Natâni Da Silva – Universidade De Uberaba (UniUbe), Minas Gerais.

“Magma”
Leiliane Clemente Dos Santos – Universidade Federal Do Ceará (UFC), Ceará.

“Jamais Temer”
Tiago Barradas Morés – Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul (UFRGS), Rio Grande do Sul.

“Provérbios 3;5”
Ricardo Fernandes Aguiar – Centro Universitário de Anápolis (Unievángelica), Goiás.

“Poezine”
Luiz Felipe De Santana – Universidade Federal Rural De Pernambuco (UFRPE), Pernambuco.

“Ode A Mulher Negra”
Isabelle Prado – Universidade De Brasília (Unb), Distrito Federal.

“Martelo”
Roberto Ferreira – Universidade Federal De Campina Grande (UFCG), Paraíba.

“Aegrescit Medendo”
Gabriel Daros Lourenço – Universidade Federal de Santa Cantarina (UFSC), Santa Catarina.

“Único Verso”
Rafaela Sátiro Da Silva – Faculdade Estácio De Sá De Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo