Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Fim de semana de luta: atos contra o golpe movimentaram o país

25/04/2016 às 16:14, por Redação I Fotos: Mídia Ninja e Bruno Bou l Cuca da UNE.

Manifestações só devem aumentar até que o impeachment seja votado pelo Senado

Após a aprovação do golpe institucional contra a presidenta Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados a juventude tem montado uma vigília constante pela democracia.

Nas ruas das principais cidades do país, estudantes e trabalhadores tem mostrado que não vão aceitar a cassação dos 54 milhões de votos que deram a vitória nas urnas, em 2014, para a presidenta.

Basta um evento criado de forma espontânea no facebook para mobilizar milhares de pessoas.

Saindo das redes sociais para as ruas, no feriado de 21 de abril, milhares de estudantes tomaram a Avenida Paulista contra o golpe. Posicionados em frente ao MASP, os manifestantes engrossam o coro anti-golpe. O movimento só deve aumentar por todo o país até que o impeachment seja votado pelo Senado.

A Mídia Ninja documentou. Assista o vídeo:

 

E a juventude repetiu a dose no sábado (23), no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo, quando mais de 5 mil jovens entoaram palavras de ordem, e empunharam cartazes com dizeres contra processo de impeachment, bem como contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Os manifestantes pararam a Av. 9 de julho e fizeram um escracho em frente a Fiep.

O protesto contou com o apoio e a presença de representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e de outros movimentos estudantis.

23_04 contra o golpe 13002512_637617596396389_4023287136565990740_o 13047757_637617449729737_8897309002029892994_o

Candelária de luta

Na sexta-feira (22) foi a vez do Rio de Janeiro. O tradicional reduto da luta democrática carioca, a Candelária, ficou tomada pelos movimentos sociais. A Frente Brasil Popular e a Frente Nacional Povo Sem Medo se revezam no uso das palavra.

22_04 contra o golpe 12985543_1131087443578595_5031791568219128960_n

Piquenique Contra o Golpe

Na manhã do domingo (24) com a ajuda de um dia ensolarado, a Avenida Paulista fechada para carros foi palco de um alegre piquenique. O espaço público sediou ainda simultaneamente o Ocupe a Democracia reunindo pessoas de todas as idades unidas ali por um único fim: mostrar para o Brasil que é as ruas que vão vencer o golpe. A presidenta da UNE, Carina Vitral, estava presente e deu o recado ao Portal Vermelho: “O Piquenique é mais um dos atos espontâneos convocados pelas redes sociais, que mostram o poder do povo em contrapor o impeachment e o quanto a juventude tem um papel fundamental nessa luta. Na semana que vem, vão ocorrer novas atividades, na próxima quinta feira (28) haverá uma paralisação nacional nas universidades pela democracia. Todo dia tem algum ato e é importante a participação de toda a sociedade para dizer sim à democracia”, afirmou.

piquenique

Brasília

Em Brasília no sábado 23, um grupo de manifestantes do Levante Popular da Juventude fizeram um protesto em frente ao Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer. Com faixas e cartazes, os manifestantes acusavam Temer de golpista e traidor da pátria, em uma ação batizada de “Escracho contra Temer”.

Ainda na capital, já no domingo (24) um ato começou por volta das 17h em frente a um shopping da Asa Sul. A manifestação reuniu integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Frente Nacional de Mobilização Povo Sem Medo.

Por volta das 18h45, os manifestantes fizeram uma passeata pela avenida W3, em direção à Asa Norte. Duas faixas da via ficaram bloqueadas durante a caminhada, que terminou com uma concentração em frente à TV Globo.

#BelaRecatadaEdoLar

Ainda do domingo em Brasília, dezenas de mulheres fizeram uma manifestação seguindo o trajeto praça do Conic, rodoviária e esplanada, até chegarem ao Congresso Nacional. Na parada final elas rasgaram seus vestidos em tom de libertação e passaram a mensagem de que estamos no século XXI, e a misoginia, o machismo, seja qual e como for, não tem mais espaço e aceitação em nossa sociedade.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo