Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Estudantes e trabalhadores contra o aumento da tarifa

11/01/2018 às 14:13, por Redação.


Em SP o ato acontece logo mais às 17h em frente ao Teatro Municipal no Anhangabaú 

A rotina de quem precisa utilizar o transporte público para chegar ao trabalho ou a escola começou prejudicada novamente no início de 2018.
A notícia do aumento da tarifa nos transportes urbanos nas grandes cidades do Brasil mobilizou estudantes e trabalhadores que protestaram em Recife, Cuiabá e Salvador.

Confira como foi em Salvador no dia 02 de Janeiro:

Aconteceu hoje na Estação da Lapa, o primeiro ato da “Revolta do Buzu 2018” contra o aumento da tarifa de ônibus em Salvador. O prefeito golpista ACM Neto, vive atacando os direitos do povo pobre da cidade. Com ônibus sucateados, extremamente sujos, sem climatização, e uma frota reduzida, ele aumentou a tarifa do ônibus no primeiro dia útil do ano, sem nenhum debate com a população soteropolitana. O movimento Revolta do Buzu, se manterá firme na luta contra o aumento da tarifa, intensificando nossos atos e mobilizações! #NenhumCentavoaMais#VempraLuta

Publiée par UEB – União dos Estudantes da Bahia sur mardi 2 janvier 2018

Em São Paulo o primeiro ato contra o reajuste que alterou de R$3,80 para R$4,00 a tarifa de ônibus e metrô acontece nesta quinta-feira (11/01) às 17h em frente ao Teatro Municipal, no Anhangabaú.

Já no ano passado os estudantes da capital paulista foram lesados pelo Prefeito Dória (PSDB) com as mudanças do Passe Livre Estudantil, desde o corte no tempo das cotas (quatro viagens restritas a dois blocos de tempo de duas horas) até a burocracia adotada o ano passado para que cerca de um milhão de estudantes possam garantir o direito através do bilhete único escolar.

A medida tomada pelo prefeito João Dória, junto ao governador do estado, Geraldo Alckmin, não mensura consequências com o reajuste, que prejudica tanto quem utiliza bilhetes unitários, quanto aqueles que dependem dos temporais para se locomoverem diariamente. Desta forma, os estudantes e trabalhadores da cidade de São Paulo e região metropolitana sofrem com mais esta medida que não reverbera para a melhoria da estrutura dos transportes.

Para a presidenta da UEE-SP Nayara Souza, pra além do reajuste no bilhete unitário, uma grande sacanagem acontece com os bilhetes temporais (que aumentaram muito acima da inflação), dificultando a vida de estudantes e trabalhadores da cidade e toda a região metropolitana. “Transporte é um direito a cidade, não podemos nos calar diante de tantos abusos e nenhum retorno em qualidade, pelo contrário: mais linhas de ônibus sendo cortadas!”.

Serviço

O que? Primeiro grande ato contra o aumento da tarifa

Quando? 11/01 às 17h

Onde? Em frente ao Teatro Municipal de São Paulo, no Centro.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo