Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Entrevista: Zé Celso Martinez

31/01/2017 às 17:41, por Cristiane Tada .

Ator e diretor do Teatro Oficina propõe grande reflexão aos movimentos de juventude no país

Zé Celso Martinez é grande referência no teatro brasileiro, ator e diretor do Teatro Oficina, em São Paulo, conhecido pelo questionamento sinestésico das linguagens, pela exploração criativa das desigualdades do país e pela prática da interação com o público.
O site da UNE enviou algumas perguntas para ele, que é o responsável pela aula magna (magma) da 10ª Bienal, em Fortaleza. Ele respondeu com grandes reflexões e provocações sobre a área da cultura, a política, o movimento estudantil e o futuro do país na perspectiva da reinvenção.

Confira a íntegra:

1 – Foi no período da faculdade que você criou o Oficina. Como você enxerga o potencial da juventude no Brasil para criar novas coisas, lutar contra a caretice, etc?

Nascemos na origem da Tragédia Brazylera com o Ato Politico Teatral Sangrento , preparado por uma peça em versos shakespereanos, escrita em caneta tinteiro pelo Autor : a ”Carta Testamento ao Povo Brasileiro” , encenada por ele mesmo como Ator: Presidente Getúlio Vargas, com um Tiro no Coração.
Cercado por Golpistas com o sangue de seu Suicídio Político entregou o Golpe do Estado q o ameaçava , onde como Presidente não poderia mais nada, a não ser submeter-se ao Imperialismo .
Seu Tiro foi mais rápido q o Golpe Civíl&Militar q seria acessado em 54 .
Seu Ato resultou na Imerção das Multidões Populares Possessas de Força Enérgética Politica ,cataclismando as ruas do Brasil todo, no próprio Enterro de seu Autor Ator: Getúlio Vargas.
Neste terremoto popular , minha geração emergiu criando:Teatro Oficina, Bossa Nova, Cinema Novo…
Então nós, Jovens Artistas,fomos nos suicidando interio e exteriormente, decididos a não nos submetermos a posições ideológicas binárias tipo Guerra Fria, y outras pré existentes.O q nos uniu foi um sentimento de quebrar os clichês dos anos 50, nas nossas pessoas, no universo político,estéticos y entrar na onda de Re Inventarmos a nós mesmos y ao Brasil. Diferentemente de hoje, estávamos em ótimas companhia: Leonel Brizola, Darcy Ribeiro, Lina Bardi, Jango Goulart, os Movimentos das Ligas Camponesas, Paulo Freire, Francisco Julião, os Movimentos Operários …tudo q fluía num caminho da liberdade pra não se deixar capturar.
Oficina foi criado no mesmo ano de 1958 em q 12 pessoas declararam a Revolução Cubana.
Paradoxalmente parimos Oficina, na “ famosa” Faculdade de Direita do Direito no Largo de São Francisco.Neste lugar dominado por Múmias Professores q seriam os Golpistas d 64 y tendo o Centro Acadêmico nas mão de “gente de bem”, quer dizer de “socialites”.
Mas a situação do Mundo em Guerra Fria propiciou o Governo Federal nas mãos do PTB então um Partido de Esquerda a sábia estratégia de não se alinhar nem com os EEUU Capitalista, nem com a UNIÃO SOVIÉTICA Comunista, mas como gilette tirando vantagem dos dois lados y formando com os chamados Países do 3º Mundo.

Hoje tanto como na em 1958, o domínio Imperialista , quer Capitalista ou Comunista tenta impor seu formato. Mas hoje o Capital vem da Especulação y deu um salto logarítimo sobre o Capital das Fábricas y das Terras. Apoiados na Cia, Pentagono, PM, os vagaus q vivem de renda produziram hoje, o Momento de Maior Desigualdade da História da Humanidade. Exatamente por isso o Corpo Físico Anímico de tudo q é vivo, seres humanos, plantas, animais minerais vive hoje, em Inssureição .Y surge somados á muitas outras forças em protagonização antagônica inéditas, a surpresa das Lutas dos (*)Povos Indígenas em sua luta, pelo não desaparecimento do Planeta Terra. Estes , trouxeram ao Mundo,a necessidade d’uma mudança radical antropológica. Pois todos fazemos parte de uma Engrenagem Ideológica q capturou nosso Corpo y Mente. Si os humanos vivos de hoje não arrancarem de seus Corpos y Mentes a Matrix Instalada tanto á Direita quanto á Velha Esquerda, em forma de Fascismo; continuaremos Patinando Inutilmente nesse lugar invisível.
A Juventude de hoje tem um potencial enorme, exatamente porque a situação tem esse grau de exigência y pra isso precisa perceber q estamos num momento de Cosmo Política Internacional.
Leiam sobre este assunto :“Marx Selvagem” livro inspirado no MARXCILLAR de Oswald de Andrade escrito pelo jovem escritor Jean Tible, já em 2ª Edição,q tive o prazer de Prefaciar.
*(assim chamado: “indígenas” pelo erro de português dos portugueses q acreditavam ter aportado nas Índias, mas q hoje querem ser chamados de Burús = Gente.)

2 – O tema da 10ª Bienal da UNE é a “Feira da Reinvenção”. Queria que você comentasse um pouco sobre essa necessidade humana de reinventar-se…

É mais q da hóra a Reinvenção ser tema deste Congresso Nacional da UNE 2017. Talvez não como uma Feira.
A Reinvenção Humana não tem nada a ver com este nome Mercantil de Quermesse.
A necessidade humana sobretudo depois de um Golpe de Estado no Brasil q não foi só parlamentar, a Vitoria d Trump nos EEUU, q acabaram de tomar o Estado lá y cá y em muitos lugares do Mundo pra uma Regressão q é o oposto da Reinvenção.
O Golpe foi a vitória dos Grupos de Ódio, os “haters” q Des-Inventaram o ser humano .Hoje nem se sabe mais ,o q é uma Pessoa, só o quanto cu$ta.
Não vale só saber se você está do lado do bem do Super Homem Camarada Moro ou do MAL do chamado de Chefe de Quadrilha” Lula. Cair neste maniqueísmo é o pior q pode acontecer ao q se supõe ser o ser chamado de Reinvenção do Humano.
O Estado nem mais precisa de Lobby$ta$ pras Propinas, pois o Marketing hoje, é o próprio aparelho de Estado.Tudo fake.Caras e bocas.

O Eterno Retorno ao ser humano, além do bem e do mal,é condição de ReInvenção do além do Humano.
Nos Atos Culturais-Políticos no Teat(r)o Oficina contra o Impechment as jovens da UNE presentes, nos surpreenderam quando não só estiveram acordes ,como também nos incentivaram a virar a Mesa da Burocracías das “Assembléias”. O Ator Mariano Matos num Ritmo Vivo,Libertário de Palhaço Atuou com Humor y Alegría, como Coordenador destes Atos, totalmente ligado às Multidões q lotavam as Galerias, dentro e fora ,na Rua do Oficina, onde havia um Telão de Vídeo, pros q não conseguiram entrar.Mas o Telão não o limitava. No Oficina, com suas portas abertas pra rua, Mariano estava presente corpo a corpo com os q estavam fóra.
Grupos culturais das Periferias se apresentavam com Funk ,Hip-Hop pegando fogo! Grupos de Afoxé faziam Macumba Explicita pra Xangô, na Pista do Oficina fechada pra impedir q o Público se instalasse no Terreno do Entorno q conseguimos em 36 anos de Luta não deixar q se contruissemm Torres de E$peculação Imobiliária. A PM estava nos Cercando, protegendo a Propriedade do Grupo Silvio Santos. Os q Tinham o q Falar , falavam sem clichês na atmosfera libertária. A burocracia habitual das Assembléias dançou.. Sem “questões de ordem, companheiro”; “a nível de”…etc. A Filósofa Marilena Chauí deu uma de suas mais Inpiradas Aulas sobre o q é Cultura, num clima q trazia o fervor das Grandes Revoluções da Humanidade. Foram essas Meninas Universitárias, q ousaram convidar o Teat(r)o Oficina pra este Congresso de 2017 da UNE. Sinal dos Tempos!
Durante a Ditadura o Oficina foi expulso de Congressos, de Comícios desta Entidade. A linguagem era então de “aparatchik”: “Palavras de Ordem. Sei q este formato ainda é quase dominante, “mas neste Congresso ,mais q nunca, por uma questão de Eficácia Política nos dias de hoje, a linguagem Política há de ser Reinventada.Não condiz com o fato de ser , não sei se é ignorância minha: mas a UNE, representa os Estudantes Universitários.Nos cursos de Linguística, Filosofia, Literatura, Cinema,Internet
por maior q seja a Crise na Universidade Brasileira, a complexidade Humana, Estética, Científica,Política é re-estudada y não é baseada na linguagem política maniqueísta.

3 – Zé, são palavras suas endossando as do Mujica: “A única possibilidade é a revolução cultural”. Como fica essa possibilidade de uma revolução cultural após esse ano de 2016, Temer, Trump, golpes, intolerâncias, etc?

Quando veio choque da Vitória de Trump, eu disse pra mim mesmo:“caguei” . Estava em cena fazendo Bacantes( q em grego quer dizer Atuantes”) . O Público tão atuante quase como os Atuadores, Atores , Atrizes, Músicos, Vídeo Câmaras….toda a Máquina Teatral MultiMídia contracenando com a Comunicação direta dos Atores y do Público. No final da peça, depois de 6 horas do Rito Espetáculo, não quer mais sair do Teatro y exigem q falemos. No Ano de 2016, no Teatro Oficina , nos surpreendemos : “Pra dar um Fim no Juizo de deus” de Antonin Artaud, y depois em “Bacantes” , todas as sessões estiveram LOTADAS!
A Crise q afeta tudo y rouba $ os mais pobres, ao contrarío do q esperávamos, as bilheterías bombaram. Os Teatros q tocam nos TABÚS da velha onda conservadora retornada,empesteando o ar, passaram a ter a presença de Multidões em busca do q não fosse fingimento: Máscaras.
A Cultura do Teatro , da presença livre de Humanos diante de Humanos criadores da Transvalorização dos Valores Trans-Humanos ao Vivo , jorra o esperma fecundador da Cultura Cosmo-Política .E não só Teatros: Música, Dança , Cinema: vide “Aquarius” y não só; redes da Net q antropofagiam os grupos de ignorância y ódio; enfim qualquer espaço onde se experimenta uma relação entre y sobretudo além dos indivíduos. O Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, fertilizado por gerações y gerações q cultivaram y cultivam Cultura como AgriCultura através de Ritos Cosmo-Políticos,hoje indo pros seus 59 anos, tornou-se um Terreiro Sagrado-Profano. Lá, plantando-se da Cultura Vital, Transformadora.
Mujica sabe das coisas. A fala carinhosa, delicada, sua própria forma de viver experimentando as mudanças político-culturais faz d’Êle próprio uma fonte produtiva, eficaz de Cultura Revolucionária.

4 – Você afirmou que no momento do golpe, houve um despertar enorme, mas que agora não adianta mais ficar protestando. Como mudamos o jogo?

A Esquerda é uma Invenção humana.Não é uma atitude reativa, mas de combate à opressão e é também propositiva.Tem um histórico de muitos séculos, mas q é recriado diante dos fatos do “aqui-agora”. Não se deixa engessar por “clichês” d’uma língua morta. É uma Arte Política em permanente mutação na defesa das liberdades humanas individuais e Coletivas.
Os protestos tipo queixa, lamento, repetição de “palavras de ordem”, tornam-se estéres se não nos reinventarmos y nos re-aparelharmos cultura e cientificamente pra esculachar por ex.
pautas bombas atuais do neoconservadorismo fascista.Os Golpistas do Brasil e do mundo, somos testemunhas dessa nova realidade: desde o 1º Dia q Usurpam o poder, re-agem apavorados pra destruição imediata do q existia nos Estados de Libertário do Poder Humano. Esta rapidez q o pavor com q tudo q foi criado pela liberdade humana, vem sendo com rapidez histérica demolido. Mas encontra uma Esquerda com o potencial maravilhoso por ser Múltipla.
Traz a contribuição trilhonária de todos q não foram Capturados pela Burocracía do Capital q chegou a moldar até o comportamento da própria Velha esquerda. A Nova Esquerda vem das Culturas que emerginam no Poder das Mulheres,Viados, Lésbicas, Trans, Trabecas Negros,Secundaristas… Travecas lutadores do CORPO HUMANO. Tem agora pra seu enriquecimento os chamados povos indígenas, com sua sabedoria milenar na defesa da Vida no Planeta Terra y de um comportamento humano perspectivista. Aliás foram estes Movimentos de libertação dos Corpos q apavorou os conservadores, q mais q nunca podem ser chamados agora de “REACIONÁRIOS.
Exatamente por isso, temos de avançar, apreendemos muito com a atual meteção à vida alheia dos defensores da caquética “Ordem e Progresso” , sem Amor. Estamos com mais conteúdo q nunca. Podemos nos orgulhar de sermos esta Força Múltipla, Renovada disposta a Reinventar tudo!

5- Se fosse para você escolher um texto dramático que mais refletisse nosso panorama político agora. Qual seria? E por quê?

Nao seriam dramáticos por q o “Drama is Over”, Morreu .Só subsiste nessa coisa de boazinha y má de Novela, de dar ou não dar, impasses na área cafona da psicoloigía pequeno burguesa fascista. Está totalmente superado pela Vida q mais q nunca , sabemos ser Trágica, Cômica y Orgyástica.
Pode-se deste momento RB , isto é : de Regressão y BURRICE, criar o Renascimento Cultural no Brasil, com CORAIS TEAT(r)AIS MULTIMÍDIAS do Encontro dos Humanos em Todas as Artes como o Poema de Sócrates:
“Fidelidade não a uma Pessôa
mas ao Amor q em todo Canto Sôa”
A Esquerda sem o que o MST chama de Mística : Paixão de Coletivos Humanos Reinventores da Libído da Vida , não vai se ter o q dar à humanidade , nem receber d’Éla. Sinto q as Artes Antropofagiando-se no contacto direto das pessoas, apaixonam multidões.Criar em vez de milhares de “Células Vietnamitas”, como se dizia nos 60, criar milhares de “ Ocupações criando Corais TeAtais “ pelo Brasil todo estaríamos mais próximos de uma Revolução Cultural ágil pra devorar q fissura dos reacionários pra defender esta destruição q estão fazendo, tipo E.I.

6- A tragédia dos presídios brasileiros no começo deste ano tem provocado uma reflexão sobre a Lei de Drogas, encarceramento em massa e prisão de usuários. Qual sua opinião sobre a descriminalização?

É uma loucura você ver coisas tão delicadas como a Santa Maria Maconha ou mesmo a Cocaína nas mãos do Violentíssimo Narco Tráfico .Isso devido à burrice da Proibição Hipócrita das Drogas. Os Grandes Conglomerados dos Capitais estudam já a “Liberação” a partir das mesmas estruturas financeiras q traficam hoje mundialmente a Cocaína. Pesquisam a forma de passar pras Grandes Marcas uma forma fake das chamadas Drogas . O mesmo Tráfico Oficializado pelo Grande Capital vai exigir a continuação da Luta pela Liberdade Natural das plantas q a natureza nos Oferece pra nosso Plantio, Prazer, Auto Conhecimento y Remédio.

NAVALHA NA CARNE- Obra Prima de Plínio Marcos escrita y estreada em 1968 é a peça dirigída agora por Marcelo Drummond q Fez Nóva a Peça de Plínio. Sempre apresentada com extrema violência , Marcelo revela agora valorizando os diálogos do autor, o Humor oculto há quase 50 anos , sem deixar cair o forte clima d quase terror da violência sobre as Mulheres y os Gays. Marcelo Drummond também atua como o Cafetão Vado de Neusa Suely, brilhante y profundamente interpretada pela Atriz Sylvia Prado. Veludo, o Viado é vivído pelo Ator Tony Reis . Este Triângulo, sempre em comunicação direta com os presentes,faz acontecer a peça, num ritmo de perder o fôlego tamanha Intensidade temperada pela Comicidade q nunca falta nos Ritos Espetáculos do Teat(r)o Oficina. A Máquina de Cena: Arquitetura Cênica, Luz, Vídeo, Som, Figurinos criam o Espaço Mágico de Explosão da Peça.

Zé Celso
Sob a Chuva, Sol y Mar d Icaraizinho
26 de Janeiro de 2017

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo