Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Em audiência pública no Senado, UNE critica novas regras do FIES

06/09/2017 às 15:03, por Renata Bars.


Medida Provisória 785/2017 prevê fim do prazo de carência para a quitação do financiamento estudantil

Aconteceu na última terça-feira (5) audiência pública no Senado Federal, em Brasília, sobre as novas regras do novo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que acabam com o prazo de carência para início da quitação da dívida do financiamento. A diretora de Relações Institucionais da UNE Bruna Brelaz, esteve presente e criticou a Medida Provisória (MP) 785/2017.

”A diminuição do prazo de carência nos preocupa muito porque prejudica o estudante que precisa estruturar a sua vida profissional após o término da graduação. É contraditório com o período em que estamos vivendo de crise econômica. Hoje o estudante sai da universidade e não consegue um emprego em três meses ou até mesmo em um ano”, falou.

Anunciadas pelo governo no último dia 6 de julho, as novas regras valerão para os contratos de estudantes a partir de 2018, caso sejam aprovadas no Congresso Nacional. De acordo com a MP, o programa será ainda dividido em três modalidades. Na modalidade 1 haverá oferta de 100 mil vagas por ano a juro zero. Na modalidade 2 serão ofertadas 150 mil vagas para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com juros de até 3% ao ano. A terceira modalidade terá 60 mil vagas para estudantes com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos.

Além disso, quem conquistar vaga no Fies a partir do ano que vem terá de pagar o empréstimo com desconto automático na folha de pagamento após terminar o curso e conseguir emprego formal.

Atualmente, os estudantes começam a pagar as parcelas do financiamento somente após um ano e meio da conclusão do curso.

Para Bruna, a opinião da UNE contra as novas regras foi colocada de forma clara durante a audiência. ”O FIES é um programa reparador, pensado e executado para aqueles e aquelas que não conseguiram ter acesso ao ensino superior público, e a nossa luta é para que ele seja eficaz e sirva ao estudantes. Essa essa MP, que visa diminuir o prazo de carência, aplicar implementação de taxas extras e reduzir as vagas só vai dificultar o acesso do estudante ao Programa”, pontuou a diretora.

Novas audiências públicas devem ocorrer nas próximas semanas com representantes do sistema financeiro e também do governo.

Assista a audiência na íntegra:

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo