Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Dia 18: Mulheres pela democracia

18/03/2016 às 20:11, por Renata Bars. Foto: Bruno Bou.

Na luta contra o golpe, elas também tomaram as ruas

A manifestação que coloriu a Avenida Paulista na tarde desta sexta-feira (18/3) contou com o apoio massivo das mulheres. Jovens, idosas, universitárias e mães engrossaram o coro que defendeu a democracia e exigiu a continuidade dos direitos conquistados neste último período.

Aos 64 anos, a aposentada Malvina Joana de Lima deixou seus afazeres de lado e ocupou a avenida. ”Eu vim para a manifestação porque eu sei muito bem como era a vida antes e como está sendo agora nos últimos 14 anos. Antes eu não era reconhecida como cidadã, mas com as oportunidades agora sou uma mulher que se formou e sabe o quanto é importante defender a democracia onde todos tenham direitos de ir e vir, onde o pobre possa entrar no shopping, ler uma revista e ter acesso às coisas ”, disse.

A discussão acerca do direito das mulheres vem crescendo a cada dia. Nos últimos anos conquistas como a criação de unidades da Casa da Mulher Brasileira, espaço de acolhimento, orientação e direitos e a Lei Maria da Penha, em vigor há 9 anos, trouxeram as mulheres para o centro do debate. Há um ano também foi sancionada a lei do feminicídio, cujo texto modificou o Código Penal para incluir o crime de assassinato de mulher por razões de gênero entre os tipos de homicídio qualificado.

Lígia Rocha, arquiteta de 39 anos, compareceu à manifestação com o filho de apenas 7 anos. ”Como mulher acho fundamental participar desse debate que esta acontecendo nas ruas e marcar minha posição a favor da democracia, pelo respeito às decisões das urnas no nosso país”, contou.

Dever da Nova Geração

A atriz e diretora Ana Petta, relembrou a importância de defender a democracia para que a história não se repita. ”Eu sou filha de militantes que lutaram contra a ditadura militar, meu pai foi preso no congresso da UNE em 68 e agora chegou a vez das novas gerações cumprirem o papel histórico de defender uma democracia que mesmo com todas as imperfeições é a que nós temos, foi conquista com muita luta, com a vida de muitas pessoas e a gente não tem o direito de se omitir nesse momento”, enfatizou.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo