Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Cresce a resistência contra o retrocesso e movimentos protestam nesta quarta

04/10/2016 às 17:31, por Da Redação.

Protestos são contra a reforma do ensino médio, flexibilização das regras do pré-sal e a PEC 241 que pretende congelar investimentos em saúde e educação por 20 anos

Formada por movimentos sociais, coletivos, centrais sindicais e centenas de outras organizações, as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo convocam todos e todas para fazer da próxima quarta-feira (5) mais um dia nacional de mobilizações contra os retrocessos promovidos pelo governo golpista de Michel Temer. Haverá paralisações em diversas cidades e um ato em Brasília, no auditório da Câmara Federal, a partir das 10h.

O objetivo é protestar contra a PEC 241, que visa congelar o orçamento público da saúde e da educação pelos próximos 20 anos, a flexiblização da partilha do pré-sal com o Projeto de Lei (PL) 4.567 e também a reforma do ensino médio.

”A PEC 241 promoverá um desmantelamento geral do Estado Brasileiro, sufocando as políticas e os investimentos públicos. O sucateamento da Previdência, Educação e Saúde públicas será consequência inevitável”, afirmou a Central Única dos Trabalhadores (CUT), por meio de carta publicada no último dia 28.

Em nota, a UNE também se posicionou contra as políticas antidemocráticas atuais e reafirmou a importância da luta nas ruas. ”É cada vez mais nítido que a conjuntura está se acirrando e que radicalizar as lutas é necessário para que possamos reivindicar novamente um sistema democrático”, ressalta o documento dos estudantes.

Confira na íntegra:

5 de outubro: dia nacional de luta contra o desmonte do Estado

No último dia 22 de setembro, os mais variados movimentos sociais, as Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, UNE, UBES e diversos outros setores presentes na resistência contra o golpe realizaram um dia de paralisação contra o governo ilegítimo de Michel Temer e contra a anunciada PEC 241, que visa congelar o orçamento público da saúde e da educação pelos próximos 20 anos. Paramos as ruas, ocupamos as universidades e deixando um recado para a direita e para a sociedade: não toleraremos esse governo golpista, que implementa de maneira antidemocrática uma série de políticas que prejudicam a classe trabalhadora e as e os estudantes.

Neste mesmo dia, enquanto estávamos nas ruas, recebemos a notícia de uma reformulação do ensino médio que não dialoga com as e os estudantes e profissionais que pensam há anos uma nova política educacional que vise melhorar a qualidade de vida e a emancipação do povo brasileiro. É cada vez mais nítido que a conjuntura está se acirrando e que radicalizar as lutas é necessário para que possamos reivindicar novamente um sistema democrático.

É nesse sentido que nos somamos à diversas outras entidades na convocação para o DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA O DESMONTE DO ESTADO: contra a PEC 241, o congelamento da educação e da saúde; contra a reformulação do ensino médio, que quer tornar o ensino mais tecnicista e conteudista; contra o governo que não dialoga e não representa os construtores e construtoras desse país.

A UNE convoca sua base a somar e construir nas mais diversas universidades a agenda de luta do dia 05 de outubro, dois dias antes da votação da PEC 241. O tempo urge e a luta é cada vez mais necessária.

Ocupar as ruas para barrar o golpe: essa luta nos UNE!

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo