Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Contra o aumento das passagens, estudantes ocupam Secretaria no Recife

29/01/2016 às 15:02, por Renata Bars.

Tarifa A subiu para R$ 2,80 e a tarifa B para R$ 3,85, um reajuste de mais de 14%

Cerca de 150 pessoas entre trabalhadores e estudantes ocuparam na manhã dessa sexta-feira (29) a Secretaria das Cidades, no bairro de Santo Amaro, no Recife, em protesto contra o aumento das passagens de ônibus na cidade. Com palavras de ordem, os manifestante exigiram uma reunião com o secretário da pasta, Andrés de Paula.

”Ano após ano o governo do estado aumenta a tarifa e não melhora em nada a qualidade do transporte.Ônibus super lotados, motoristas e cobradores com salários baixos, demora de mais de 40 minutos nos terminais. Queremos que o secretário receba a todos e todas que estão aqui e barre o aumento das passagens”, falou a representante a UNE, Flor Ribeiro.

Após protestos e denúncias de irregularidades na votação do reajuste das tarifas de ônibus, o 4º Juizado Especial da Fazenda Pública havia suspendido o aumento das passagens na última terça-feira (26). Contudo, essa decisão em caráter liminar foi derrubada nesta quinta-feira (28).

O autor da ação foi estudante Márcio José da Silva Moraes, integrante da Frente de Luta e membro do CSTM, que representa os estudantes. Márcio tinha proposto a anulação da reunião por não ter tido acesso à planilha de custos requerida pelo movimento.

Mesmo após a liminar na quarta-feira (27) aconteceu o quarto ato contra o reajuste das passagens. A marcha saiu do Largo da Encruzilhada, na Zona Norte do Recife. O ato foi marcado pelo grupo Contra Tarifa Recife e será apoiado pela Frente de Luta pelo Transporte Público.

DIÁLOGO

Uma comissão com oito pessoas foi recebida pelo chefe de gabinete do secretário das Cidades André de Paula, mas os participantes do ato exigem ser recebidos pelo político. Os manifestantes afirmam que só deixarão o prédio quando forem recebidos pelo secretário.

Para Flor, a luta é pela extinção do aumento. ”Não admitimos mais aumentos para encher os bolsos dos empresários. Se a tarifa não baixar, vamos parar a cidade”, finalizou.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo