Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Chico Lopes na Bienal: “O jovem sempre tem dentro de si a transformação’’

29/01/2017 às 13:41, por Renata Bars, com colaboração de Daniella Rebello e Vitor Vogel.

Deputado federal participou da abertura do festival estudantil e falou um pouco sobre humor na política e a importância da juventude no avanço do país
Cearense orgulhoso, o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE) participou na manhã deste domingo (29), em Fortaleza, da abertura da 10ª edição da Bienal da União Nacional dos Estudantes, que acontece até o dia 1º de fevereiro no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Ao site da UNE, Chico falou um pouco sobre humor na política, o orgulho em receber um evento da UNE em seu estado e o papel dos jovens na reinvenção do país frente às atuais adversidades.

“O jovem sempre tem dentro de si a transformação para a sociedade. Essa Bienal tem um significado na hora em que o Temer, sem voto, consegue fazer uma reforma que transforma toda a vida do povo brasileiro. Por isso, essa Bienal tem muita importância para a democracia’’, afirmou.

Confira abaixo a conversa:

Como você enxerga o humor na política?

Primeiro para escapar desse reacionarismo da imprensa, porque política é uma coisa boa. Não tem salvação fora da política, e ela pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal. Nesse sentido, o Brasil tem experiência em utilizar a política para dominar, para roubar, para ganhar eleições e nós estamos em um momento de dificuldade, mas quando se vê um evento da UNE que tem história de resistência no país, dá um alento para nós que já estamos com uma certa idade, mas sempre com um espírito de luta. Atravessamos a ditadura militar, pegamos o AI-5, mas revigora ver esse jovem lutando pelo Fora Temer. Chegamos a um ponto que temos um presidente sem voto, sem competência que fica no poder porque tem uma mídia por trás dele, um judiciário por trás dele. Mas, o povo é como o mar, quando quer derrubar um edifício, fica batendo até conseguir.

Qual é a importância da reinvenção, que inclusive, é o tema da Bienal, nos tempos atuais?

A reinvenção para mim lembra a história da UNE. O jovem sempre tem dentro de si a transformação para a sociedade. Essa Bienal tem um significado na hora em que o Temer, sem voto, consegue fazer uma reforma que transforma toda a vida do povo brasileiro e que utiliza recursos que poderiam ser bem utilizados no país, na banca externa. Por isso, essa Bienal tem muita importância para a democracia.

O que você achou da escolha do estado do Ceará para sediar a 10ª Bienal?

Eu sou suspeito porque cearense é muito narcisista e um evento com essa magnitude, com tantos jovens que pensam e transformam e que futuramente estarão nos consultórios, nas engenharias, enfim, aqui tem o futuro do país e esse futuro tem que ser discutido agora para quando você chegar lá já entender qual é o seu papel na sociedade, na transformação da sociedade. É uma dádiva o Ceará, terra da luz, terra de Iracema, receber homens e mulheres com a cabeça aberta para o futuro.

A juventude tem potência para transformar o país?

Sempre tem. É só olhar a história da UNE. Tem uns ‘’cabras’’ que descambam, mas isso faz parte das contradições da sociedade. Eu acredito que a maioria tem sim muita força para encabeçar as transformações.

 

Foto: Mário Sabino

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo