Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Capitais brasileiras se mobilizam contra o golpe de Estado

16/05/2016 às 10:47, por Vinícius Mendes.

Manifestantes em cidades como São Paulo, Belo Horizonte e Brasília bradaram contra Michel Temer

No primeiro domingo de governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB), o povo foi às ruas em várias capitais brasileiras para demonstrar seu descontentamento com o golpe de Estado contra Dilma Rousseff materializado na semana passada.

Em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis e diversas outras cidades brasileiras, milhares de pessoas saíram às ruas para protestar. Movimentos sociais – como a UNE – estiveram presente na maioria deles.

SP CONTRA O GOLPE

Em São Paulo, milhares de pessoas se encontraram na Praça do Ciclista, entre a Avenida Paulista e a Rua da Consolação, contra o golpe de Michel Temer. Os ocupantes fecharam as entradas do local com faixas, cartazes e um carro de som.

O ato foi convocado por movimentos feministas contra o ministeriado machista de Temer. Em entrevista ao Fantástico, da não menos golpista TV GLOBO, o presidente interino disse que vai nomear nomes do “mundo feminino” para secretarias.

Ao tratar as mulheres como “mundo feminino”, ele deixa claro sua posição machista de percebê-las como um mundo à parte.

Mais uma vez o povo ocupa as ruas do Brasil para dizer que não aceita esse golpe contra a nossa democracia“, bradou o diretor jurídico da UNE, Rarikan Heven, durante o ato.

Ele lembrou ainda que o novo ministro da Educação, Mendonça Filho, do DEM, foi contra todos os programas sociais educacionais dos governos petistas.

“O golpista Temer colocou um cara do Democratas no Ministério da Educação. O Democratas, partido que foi contra o ProUni, contra as cotas raciais. Eles querem retroceder as conquistas sociais. Querem que os pobres e os negros voltem para as favelas e para as senzalas e deixem as universidades para as classes ricas”, completou.

SEM GOLPISTAS EM MINAS

O ato chamado #ForaTemer em Belo Horizonte reuniu milhares de pessoas na Praça da Liberdade, no centro da cidade, para pedir o impeachment do golpista interino.

Com faixas contra Temer, Cunha, a mídia golpista e lembrando dos nomes bizarros indicados para ministérios, como o comandante da violência policial em São Paulo, Alexandre de Moraes, nomeado Ministro da Justiça e Cidadania, os ocupantes saíram em passeata pela cidade.

O protesto durou toda a tarde de domingo, mas teve seu auge à tarde, quando os manifestantes chegaram ao prédio da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ocupada por estudantes há alguns dias.

BRASÍLIA CONTRA TEMER

Manifestantes também ocuparam a Praça dos Três Poderes, em Brasília, contra o governo Temer. O ato, em frente ao Palácio do Planalto, onde o golpista começou a trabalhar ilegitimamente na semana passada, foi tomado por pessoas contra o golpe.

Faixas de “Fora Temer” e “O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo” foram empunhadas pelos manifestantes.

POSIÇÃO DA UNE

A União Nacional dos Estudantes (UNE) reitera mais uma vez a sua posição contrária ao golpe de Estado conspirado pelo vice-presidente Michel Temer e pelo ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

No dia 12 de maio, dia em que o golpe se materializou, a UNE divulgou nota em que demonstrava seu sentimento com o processo parlamentar:

“As sombras que começaram a se forjar no início de 2015, com as primeiras manifestações que trouxeram o discurso da defesa da ditadura militar, transformaram-se em uma jornada sem precedentes da intolerância e do autoritarismo desde o fim do regime, em 1985. Cresceram com a progressão de um pedido absurdo de impedimento presidencial sem os devidos crimes de responsabilidade que a lei exige. Atingem dimensão preocupante neste momento em que o golpe conseguiu a retirada da presidenta por até 180 dias e permite ao vice-presidente Michel Temer assumir sorrateiramente a cadeira presidencial como um vulto esgueirando-se para onde não foi convidado”.

A UNE estará em todos os atos possíveis contra o presidente golpista Michel Temer porque entende, principalmente, que a maior derrotada em todo esse processo é a democracia brasileira, que tanto o povo suou para conseguir.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo