Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Após tentativa de estupro na UFU, DCE pede abertura de sindicância

23/09/2015 às 18:15, por Renata Bars.

Entidade protocolou documento na reitoria e também na coordenação do curso de Direito

Na noite da última segunda-feira (21/9), uma estudante de 18 anos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), sofreu uma tentativa de estupro em um dos banheiros do bloco de Direito no campus Santa Mônica, localizado na zona leste da cidade.  O caso abalou a comunidade acadêmica e está mobilizando uma série de ações por parte do DCE.

Um documento com pedido de sindicância já foi protocolado junto à reitoria e também à coordenadoria do Curso de Direito expondo a indignação com a falta de segurança nos campi da UFU.

‘’A gente já vem tendo problemas com segurança no campus desde o começo do ano. São relatos de assaltos e até mesmo outros relatos de tentativas de estupro que chegam a ser abafados pela universidade. Queremos uma segurança mais humanizada, com curso de preparação para os servidores e também mais iluminação. Nossas estudantes não podem ser obrigadas a andarem com medo de serem violentadas’’, falou a coordenadora-geral do DCE, Raphaella Porces.

Enfrentar o machismo é necessário

Casos de estupro em universidades infelizmente não são incomuns. Em março deste ano, a CPI dos Trotes na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) apontou 112 possíveis estupros somente na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Para a diretora de mulheres da UNE, Bruna Rocha, faz-se necessário enfrentar o machismo e chegar à raiz do problema. ‘’ É fundamental que haja apuração do caso da UFU, assim como dos terríveis casos da USP e em todas as universidades. Mas é preciso ir à raiz do problema, pois a punição já pressupõe o crime e o crime gera um impacto irremediável na vida de nós mulheres. A prevenção só pode ser construída com a incorporação de uma agenda antimachista nas universidades. Precisamos sim de equipamentos que monitorem casos de violência, como ouvidorias e setores específicos para o acolhimento das vítimas e investigação dos acusados’’, pontuou.

Mobilização

Um movimento encabeçado pelos estudamtes de Direito está organizando uma mobilização intitulada ‘’Ufu, sou mulher. Não vou me calar’’, com o intuito de cobrar uma atitude da coordenação da universidade.

Também está disponível na internet um abaixo assinado pela segurança na UFU. Acesse e assine aqui.

O protesto acontece na próxima sexta-feira (25/9) a partir das 10h, no chamado Jambolão – espaço de convivência dos estudantes da UFU.

‘’Faremos uma caminhada até a reitoria e depois participaremos do Conselho Universitário que acontece nessa mesma data. Queremos soluções eficazes para as nossas mulheres’’, frisou a coordenadora do DCE.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo