Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

5º Enune: ”Carta de Salvador” repudia o golpe e o racismo

09/08/2016 às 17:59, por Renata Bars.

Evento reuniu cerca de 2000 estudantes e já entrou para a história da entidade

A 5ª edição do Encontro de Negros, Negras e Cotistas da UNE (Enune) que terminou no último domingo (7/8), em Salvador, deixou um legado positivo para os estudantes e também para a entidade estudantil. A plenária final aprovou a ”Carta de Salvador” – documento fortemente político que repudia o avanço do golpe em curso no país e reafirma a unidade do movimento negro na luta contra o racismo e também contra o genocídio da juventude negra.

”Nós jovens negras e negros reunidos no 5º ENUNE estamos convictas/os que para derrotar o golpe e pôr fim ao genocídio da população negra, será necessário um nível maior de unidade política e ação dos diferentes setores da esquerda brasileira. Precisamos constituir um bloco histórico enraizado na sociedade brasileira, capaz de articular um projeto político alternativo à ofensiva neoliberal que se reinicia com o governo interino de Temer”, afirma um trecho do documento.

Foram aprovadas também moções contra a lei antiterrorismo, pela implementação efetiva do ensino de história afro e indígena nas escolas, em memória de Luana Barbosa, mulher negra covardemente assassinada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, e em favor do poder negro da UNE.

A mesa de despedida do evento contou com a participação da vice-presidenta da UNE, Moara Saboia, do diretor de combate ao racismo, Rodger Richer e da 1ª diretora de combate ao racismo, Marcela Lisboa.

Moara salientou que esta edição foi a maior já construída pela UNE e talvez o maior fórum de juventude negra do Brasil.

”Foram 3 grandes debates, 11 grupos de discussão simultâneos em que a gente se informou, riu e chorou junto. Assim como eu, acredito que todos saem daqui renovados e prontos para enfrentar o racismo, para dizer à essa elite golpista que eles podem ousar tentar tirar nossos direitos, mas que não esperem que fiquemos calados. A juventude negra vai estar nas ruas, nas redes e na universidade para dizer que não admitimos nenhum retrocesso”, falou.

Você pode conferir a Carta de Salvador da íntegra aqui.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo