Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

176 universidades ocupadas provam resistência estudantil contra retrocessos

08/11/2016 às 14:42, por Cristiane Tada.

 Entenda a luta crescente das entidades do movimento educacional contra a PEC 55

Enquanto o Ministério da Educação ameaça processar as entidades estudantis em uma tentativa clara de censurar o direito à livre manifestação dos estudantes de todo o Brasil a cada hora uma nova universidade é ocupada.

Leia aqui a nota das entidades estudantis sobre a postura do MEC.

Já são 176 Universidades de todo o país contra a PEC 55 (antiga PEC 241), em um movimento de ocupações está sendo considerado o maior da nossa história.
“Uma mobilização tão grande e unificada só teve precedente durante o governo neoliberal de FHC, há mais de 15 anos atrás, que encontrou no movimento estudantil um dos seus principais pontos de resistência”, destacou a presidenta da UNE, Carina Vitral.

Esta semana a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Universidade Federal do Pará (UFPA) decidiram em assembleias com participação recorde de estudantes pela ocupação e luta conta a mudança constitucional que pode acabar com a educação pública. Acompanhe pelo facebook a lista das ocupadas.

“A juventude brasileira, em especial aquela que ascendeu ao direito à universidade, se levanta contra a PEC 55 que tramita no Senado, por entender que ela desmonta com a democratização da universidade e congela o futuro da juventude brasileira nos próximos 20 anos”, avalia a presidenta.

O movimento também chegou à universidade privada, como a PUC Minas foi ocupada na semana passada em protesto aos efeitos da PEC sobre programas como ProUni, Fies e ajustes de custos que os estudantes acreditam que vão aumentar a mensalidade e diminuir a qualidade do ensino.

Os estudantes universitários começaram a se organizar desde Setembro a exemplo dos estudantes secundaristas e dos sindicatos de trabalhadores da área da Educação que não aceitam retrocessos como a MP da “deforma” do ensino médio e as ameaças de congelamento de pisos salariais, consequentes da PEC 55, a desvalorização e terceirização dos profissionais da área.

Em meio a luta crescente das instituições educacionais em todos os cantos do Brasil a União Nacional dos Estudantes convocou todas as ocupações estudantis e os 85 diretores da entidade para uma reunião nos próximos dias 14 e 15 de novembro, na Universidade de Brasília (UnB), na capital federal.

Queremos debater o papel das ocupações e os próximos passos de enfrentamento a PEC que quer acabar com a educação pública brasileira”, ressaltou o diretor da UNE, Rarikan Heven.
No dia 15 de novembro haverá ainda uma reunião conjunta de todas as entidades estudantis, UNE, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e a Associação Nacional dos Pós Graduandos (ANPG) e e várias entidades do movimento educacional como Andes, PROIFES, Fasubra, CNTE, Contee.

 

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo