Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

10 motivos para defender a universidade pública e gratuita no dia 19/10

05/10/2017 às 17:25, por Redação.


Estudantes estão mobilizando atos nas universidades de todo o país no dia 19 de outubro

A UNE aprovou uma jornada em defesa às ameaças que a gratuidade do ensino superior tem sofrido atualmente no Brasil. A campanha #UniversidadeNãoSeVende está convocando os estudantes a organizar a resistência em torno do tema e a mobilizar atos em todo o Brasil no dia 19 de outubro nas universidades de todo o país. Confira os motivos pelos quais a UNE defende a universidade pública e gratuita:

1- A universidade pública e gratuita de qualidade é um direito de todos, ricos e pobres, garantido pela Constituição;

Os impostos cobrados à população, que via de regra pesam mais sobre os mais pobres, já devem ser, por obrigação, revertidos em serviços públicos de qualidade.

2- A universidade pública deu certo no Brasil;

Nos últimos 13 anos dobraram o número de matrículas nas universidades brasileiras, de 3,7 milhões para mais de 7 milhões. Um setor da população que nunca teve acesso a esse nível de escolaridade, mulheres, negros, estudantes de escola pública hoje não só tem acesso a ela como contribuem para a construção de ensino referenciado para as necessidades da população.

3- Ensino pago não vai resolver nenhum problema;

Nem no orçamento da universidade, nem a crise econômica ou diminuir a desigualdade. O ensino gratuito não é a causa do déficit fiscal, a maior desigualdade que existe no Brasil é acerca da carga tributária. No momento que a universidade caminha para uma democratização irrestrita e que aprovamos um Plano Nacional de Educação que garantia avanços ainda mais significativos e previa um eficaz financiamento por meio de 10% do PIB e os recursos dos royalties do petróleo para a educação, a ideia do pagamento nas públicas é apenas mais um passo da política de Estado mínimo desse governo ilegítimo não eleito.

Medidas como a reforma tributária, a tributação das grandes fortunas e a revisão do pagamento de juros para bancos, seriam sim o caminho para o Brasil voltar a crescer.

4 – Educação não é gasto, é investimento!

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgou recente estudo que a cada R$1 investido na educação pública no Brasil há um retorno no pib de R$ 1,85. O investimento em educação não pode ser computado e suprimido como um gasto qualquer, sendo um investimento que altera diretamente a balança da economia nacional por gerar tecnologia, inovação e conhecimento de ponta.

5– “Onde passa um boi, passa uma boiada!”

A gratuidade da educação para a UNE é inegociável! Abrindo a porta para a cobrança para os mais ricos, estamos abrindo perigosos precedentes que ameaçam a democratização do ensino. A cobrança de mensalidade ou anualidade na educação é a porta de entrada para a privatização de um serviço que é direito assegurado pela Constituição.

6 – Por uma universidade pública universal e plural;

É comprovado que a diversidade, seja de qualquer natureza do ambiente de estudo garante uma riqueza de saberes e aumenta o nível intelectual. Vozes e opiniões de diferentes classes, cores e culturas convivendo entre si garantem uma pluralidade, aumentam o diálogo e enriquecem a produção acadêmica.

 

7-Países como o Chile, que chegaram a abrir mão da universidade gratuita por um período de tempo perceberam que aumentaram a desigualdade e também perderam em qualidade;

No último período o Chile tem enfrentado uma massiva reação da sociedade civil organizada para a retomada da educação pública gratuita de qualidade. A questão inclusive deve definir as eleições presidenciais deste ano no país.

8- FOI na universidade pública onde se produzIU avanços e conhecimento no Brasil;

Foi onde se fomentou o nosso sistema de saúde, a prevenção de doenças e as pesquisas mais avançadas da nossa medicina para a proteção da vida. Foi onde nasceram, ao longo do tempo, as soluções da engenharia, meio-ambiente, logística para o avanço das nossas cidades e da nossa indústria, da economia e soberania nacional.

9- Afirmação da nossa identidade;

Foi a universidade que permitiu a afirmação da identidade e a consciência histórico-crítica do povo brasileiro por meio da nossa literatura, artes, música, sociologia, pedagogia.

 

10- Pilar da democracia no Brasil.

Foi a universidade pública um dos pilares de resistência pela democracia do nosso país em diferentes períodos de exceção como o Estado Novo e a Ditadura Militar de 1964 a 1985.

> Leia também o manifesto em defesa da universidade pública aprovado pela entidade

 

 

 

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo