Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

MÚSICA NA BIENAL REÚNE GÊNEROS E ESTILOS NO RIO

Músicos e apaixonados pela música têm um encontro marcado na 9ª Bienal da UNE, que começa neste domingo (1º) na Lapa, no Rio de Janeiro.

O maior festival estudantil da América Latina divulgou nesta quarta-feira (28) as atrações da mostra convidada de música, um cardápio afiado de nomes consagrados da MPB.

Os grandes shows da Bienal trarão Criolo, Alceu Valença, Cidade Negra, Pitty e Arlindo Cruz com dona Ivone Lara em apresentações gratuitas ao ar livre para milhares de estudantes no coração da Lapa.

Homenageada na área de música nesta edição da Bienal, dona Ivone Lara, 94, é esperada numa participação no show do craque Arlindo Cruz, que fecha a primeira noite do encontro no domingo às 19h, no Circo Voador.

Cronista da vida e da geografia do Rio de Janeiro, Arlindo lançou em 2012 o CD/DVD “Batuques do Meu Lugar”, com uma lista de convidados de peso (como Caetano Veloso, Zeca Pagodinho, Marcelo D2 e Seu Jorge) e toques precisos de gêneros como maracatu, afoxé e carimbó.

Arlindo e banda receberão no palco dona Ivone Lara, a grande dama do samba nacional, conhecida como a primeira mulher a se destacar como compositora num universo até então dominado por homens, ali ainda pelos idos de 1960.

PITTY E ALCEU VALENÇA

Dona do palco na segunda noite da Bienal, na segunda-feira (2), Pitty abre a série de apresentações ao ar livre nos Arcos da Lapa, com show ancorado do repertório do pesado SETEVIDAS (2014), seu último trabalho. O rock consistente e melódico da baiana promete agitar o público da Bienal.

Na terça-feira (3), a Bienal e a Lapa recebem o legado do multiartista e patrimônio brasileiro Alceu Valença. O pernambucano deverá aproveitar o clima de pré-folia para explorar o repertório de seu último trabalho, Amigo da Arte (2014), uma homenagem ao Carnaval de sua terra. Alceu completou 40 anos de carreira em 2014 e também gravou recentemente, com a Orquestra de Ouro Preto, o espetáculo Valencianas, de canções adaptadas para música de concerto.

CIDADE NEGRA E CRIOLO

Lazão, Bino e Toni Garrido levantam a bandeira do Cidade Negra na noite de quarta-feira (4). Os veteranos do reggae e do pop nacional fazem uma pausa na gravação do novo disco para mostrar seus hits de pista e o trabalho de “Hei, Afro”, álbum de 2012 que marcou a volta de Garrido aos vocais após um hiato de quatro anos.

Encarregado a fechar a última noite de grandes shows da Bienal, na quinta-feira (5), Criolo chega com o show do álbum “Convoque seu Buda” (2014), sucessor do aclamado Nó na Orelha (2011).

Criolo manteve a pegada num trabalho amadurecido em que transita com categoria por ritmos e gêneros como rap, samba, afrobeat e baião. No palco, a banda capitaneada pelo tecladista e produtor Daniel Ganjaman constroi um dos shows mais intensos hoje no Brasil.

Os alto-falantes da 9ª Bienal da UNE ainda tocarão o som dos artistas da mostra selecionada, um mini-festival na Fundição Progresso, sede da Bienal, na terça (3) e quinta-feira (5).

A UNE celebra a música e a cultura nacional com esses artistas e shows que prometem marcar o verão 2015 no Rio.

Da Redação

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo
Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/une/public_html/site/wp-includes/functions.php on line 3743