Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

JUVENTUDE ACREANA LANÇA SUA JORNADA DE LUTAS 2014

No último dia 13 de março um encontro no Teatro Hélio Melo em Rio Branco (AC), reuniu as representações de todas entidades do movimento estudantil e juventude organizada no Estado para a convocação da Jornada de Lutas da Juventude de 2014 no Acre.

Estiveram presentes UNE, UBES, Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do Acre (UFAC), DCE da Faculdade da Amazônia da Ocidental (FAAO), vários Grêmios Estudantis e entidades. Pela primeira vez, o Estado fará uma Jornada unificada, juntando assim forças na busca das conquistas e melhorias da educação, saúde, esporte, cultura, mobilidade urbana e todos os direitos que são negados a nossa juventude.

Durante toda manhã, o debate se deu acerca dos rumos e a plataforma que a Jornada de Lutas irá trilhar. Foi decidida uma comissão organizadora e que conduzirá as discussões das atividades propostas durante o processo de mobilizações. Para o diretor da UNE, Jacson Queiroz, é hora de entrar nas universidades, reivindicando mais pesquisa, extensão e assistência estudantil. “O Brasil avançou muito com o ProUni [Programa Universidade para Todos], REUNI [Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais] e FIES [Fundo de Financiamento Estudantil], mas ainda há muito a ser feito. Vamos chamar o governo do Acre para debater a viabilidade econômica do Estado, para implantação de uma Universidade Estadual. Não há conquista sem luta e por isso, estamos fazendo o chamamento de toda estudantada, para marcar uma nova etapa do movimento estudantil no Estado”, destacou.

Já a UBES vai entrar nas escolas, exigindo um novo modelo de ensino médio no País e no Estado afirma o estudante Clauderson Santos (Blak). “Para isso precisamos contagiar os estudantes, servidores da educação e sociedade, para juntos sacudirmos as ruas do Acre. Queremos os 10% do PIB para educação, queremos passe livre em todo Brasil”, afirmou.

No Acre, os estudantes vão defender ainda a luta pelo fim da padronização do uniforme escolar, a climatização das salas de aulas e a fundação uma entidade estudantil secundarista. “Uma entidade que faça a luta de verdade e que represente de fato os estudantes acreanos”, ressalta Clauderson.

No fim do encontro uma comissão organizadora foi montada, para conduzir o calendário de atividades e mobilização, que se encerra dia 9 de abril, com uma grande passeata no Centro de Rio Branco.

Da Redação

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo