Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

UNE LANÇA NOVA CARTEIRA ESTUDANTIL

Começou ontem (27/02) a emissão da nova carteira nacional estudantil. A nova carteira expedida pela União Nacional dos Estudantes teve o layout nacionalmente padronizado e está de acordo com as exigências da Lei que esclarece as medidas relativas à Copa das Confederações FIFA 2013, à Copa do Mundo FIFA 2014 e aos eventos relacionados, que serão realizados no Brasil. A carteira vai garantir 50% de desconto no ingresso para os jogos da Copa das Confederações que acontece agora em junho bem como para o transporte público nos municípios onde os estudantes têm benefícios assegurados. “O funcionamento da carteirinha durante este ano será uma experiência importante para a Copa do Mundo e os demais eventos esportivos que virão. As mudanças também reforçam a credibilidade da carteira como um documento de identificação dos estudantes reconhecido em todo o território nacional”, destaca o presidente da UNE, Daniel Iliescu.

A nova carteira estudantil tem certificado digital e poderá ser emitida pela União Nacional dos Estudantes (UNE), Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e suas milhares de entidades filiadas. Os estudantes podem solicitar a sua através do site da UNE www.une.org.br munidos da cópia do RG, CPF, e comprovante de matrícula de 2013. O preço também foi unificado em todo o país e custa R$20,00. A carteira fica pronta em até sete dias úteis e vale até março de 2014.

Meia entrada luta histórica

Há anos a UNE vinha se preparando para dar mais funcionalidade, transparência e eficiência para a carteira estudantil. Com a exigência do Congresso para uma certificação de segurança ela buscou uma parceria com Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) e a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia em Identificação Digital (Abrid). O novo documento contém um código de barras e um QR Code que traz mais segurança e tranquilidade ao usuário e ao bilheteiro. A UNE é a pioneira no país em utilizar na carteira a tecnologia do certificado de atributo, uma estrutura de dados que assegura a legitimidade e possibilita a conferência de qualquer dado do aluno, seguindo um padrão de confiança da ICP-Brasil – Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira.

Desde a redemocratização do país a UNE luta por uma Lei nacional de meia entrada. A entidade participou ativamente das comissões e debates sobre a entrada dos eventos da Copa do Mundo e mesmo insatisfeita com o preço do ingresso e com a burocracia para compra entende como um ganho a Lei Geral da Copa.

Segundo o presidente da UNE a medida provisória 2.208 de 2001 ao contrário do que muitos pensam não fala sobre meia entrada. Ela liberou a emissão da carteira pelos estabelecimentos de ensino, pelas associações, agremiações estudantis e acabou com a exclusividade da UNE. “Foi uma retaliação do governo FHC às greves encabeçadas pela UNE exigindo melhorias na educação. Ela é uma aberração jurídica que jamais foi votada pelo Congresso e dá base a ação das máfias ou qualquer empresa mal intencionada. A UNE em parceria com o Procon já denunciou diversas quadrilhas que comercializavam carteiras de forma irregular”, explica.

A “bagunça” na emissão das carteiras teve um efeito ainda mais perverso: o encarecimento da cultura no Brasil. “Hoje os próprios produtores culturais admitem que o valor da meia entrada é praticamente de uma entrada inteira, consequentemente dobrando o valor do ingresso normal”, afirma Iliescu.

Para a UNE a carteira estudantil é mais que uma identificação, é um portador de direitos do estudante. É um documento de autonomia da representação estudantil também, uma vez que é emitido por uma entidade de estudantes e de autonomia financeira. A arrecadação das carteiras custeia o funcionamento da entidade e é repartido entre as UEEs dos estados, os DCEs das universidades e os CAs dos cursos.

 Cristiane Tada

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo