Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

HÁ 70 ANOS, UNE OCUPAVA A PRAIA DO FLAMENGO 132

No dia de hoje, 14/09, a União Nacional dos Estudantes comemora uma importante data. Há 70 anos, os estudantes ocuparam a sede do Clube Germânia, na Praia do Flamengo 132, Rio de Janeiro, tradicional reduto dos simpatizantes nazifascistas. A partir de então, o endereço passou a ser a sede da entidade.

Em 2012, a data ganha um significado ainda mais especial pois a entidade comemora seu 75º aniversário. No últmo dia 11 de agosto, a UNE celebrou os 75 anos com um ato importante para a consolidação da democracia brasileira e para o legado da entidade: o início oficial das obras da nova sede no local. O aniversário reuniu diversos ex-presidentes da entidade, inclusive um de seus fundadores, Irum Sant’anna. Além disso, também havia uma exposição em homenagem aos estudantes desaparecidos na ditadura militar e uma roda de samba no encerramento.

Projetado por um dos principais arquitetos do mundo, Oscar Niemeyer, o novo prédio terá 13 andares, com três pisos de estacionamento no subsolo, um centro cultural com dois cinemas, museu, livraria e café. 

1942: UNE contra o nazifacismo

Há 70 anos, a principal bandeira de luta defendida pelos estudantes era o combate ao nazifacismo. No calor desse intenso enfrentamento, em 1942, um grupo de estudantes ocupou a sede do Clube Germânia, na Praia do Flamengo 132, Rio de Janeiro, tradicional reduto dos simpatizantes nazifascistas.

“[…] Procuramos os diretores e informamos que a UNE ia se instalar naquele edifício, e que nós dávamos cinco dias para o Clube Germânia evacuar o edifício de modo próprio e sem qualquer atribulação…”, explicou o ex-presidente da UNE, Hélio de Almeida, em depoimento publicado no livro Histórico UNE: 60 anos a favor do Brasil.

Incêndio e demolição da sede da UNE

Um dos mais lembrados episódios do período da ditadura militar foi o incêndio da sede da UNE, no dia 1 de abril de 1964. Na ocasião, agentes do regime invadiram o prédio e incendiaram o local, que ficou em ruínas.

Jorge Luis Guedes, que esteve à frente da entidade em 1968, relembrou a noite de 1 de abril de 1964:

“Eu estava aqui naquele dia. Nós tivemos uma noite de trevas. Eles vieram, tocaram fogo, tacaram tudo na rua e destruíram tudo”, contou. “Depois, em 80, vieram destruir o prédio. Foi uma tristeza”, finalizou citando a demolição do prédio em 1980.

A retomada do terreno e o início das obras

Em 2008, o então presidente Luis Inácio Lula da Silva esteve no terreno e anunciou que enviaria um projeto ao Congresso Nacional propondo indenização do estado brasileiro aos estudantes pela demolição de sua sede, perseguição política,torturas e mortes.

Em 2010, o projeto foi aprovado por unanimidade pelo Congresso, com votos de parlamentares de todos os partidos políticos. Na ocasião, o presidente Lula e o arquiteto Oscar Niemeyer estiveram no terreno para o lançamento da pedra fundamental da nova sede.

Mariana Ortiz

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo