Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

GREVE DE PROFESSORES NA BAHIA TEM APOIO DE ENTIDADES ESTUDANTIS

Professores da rede estadual de ensino da Bahia estão em greve desde o último dia 11 , quando também decidiram ocupar a Assembleia Legislativa após ato em frente à governadoria do estado. Cerca de 3 mil pessoas entre trabalhadores, professores e estudantes participaram do ato.

A greve foi deflagrada pelo não cumprimento do acordo assinado pelo governador Jaques Wagner referente ao aumento do salário dos professores em 22,22%, fazendo-se cumprir a lei que regulamenta o piso da categoria.

Até o momento, o governador não se pronunciou para avançar no diálogo com os professores, apenas considerou a greve ilegal, afirmando haver a possiblidade de corte no ponto dos grevistas que não retornarem ao trabalho.

Apesar da postura do governo, na última sexta-feira (27), os professores decidiram continuar a paralisação. Eles permanecem na Assembleia Legislativa, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, onde estão acampados.

Nota da Associação Baiana Estudantil Secundarista (ABES) e da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES) em apoio à greve dos professores baianos:

Professores da rede estadual de ensino, em assembleia realizada no último dia 11/04 pela manhã, deflagraram greve da categoria por tempo indeterminado. O principal motivo da greve é que o Governo do Estado não cumpriu a Lei Federal que regulamenta o piso salarial dos professores, segundo os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) a greve só irá terminar quando o reajuste de 22,22% for alcançado.

Diante desse cenário, a Associação Baiana Estudantil Secundarista (ABES), entidade representativa dos estudantes secundaristas da Bahia, que sempre lutou para que a escola fosse um espaço democrático, entende a legitimidade da greve da categoria e apoia a luta das e dos trabalhadores. Reafirmamos a nossa opinião sobre a consolidação de uma educação de qualidade e isso passa pela valorização das e dos profissionais da educação.

Estaremos do lado dos professores, defendendo os direitos da categoria e lutando para que o Governado da Bahia pague o aumento regulamentado pelo MEC. Contamos com a sensibilidade do Governador Jaques Wagner para que esse impasse seja logo resolvido, efetive o direito da categoria já garantido por lei e para que principalmente os estudantes não tenham a qualidade de ensino, que já é precária, ameaçada infligindo às normas regidas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

Da Redação

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo