HÁ 32 ANOS, UNE ELEGIA SUA PRIMEIRA MULHER PRESIDENTA

No fim da ditadura militar, Clara Araújo era eleita líder dos estudantes brasileiros

DE OLHO NO CAMPUS!

Confira a agenda da semana

MOVIMENTO ESTUDANTIL DA UNB RECLAMA SEU ESPAÇO

Reitoria está mudando salas dos CAs sem consentimento dos estudantes

CULTURA DENTRO DO BOLSO

Mostra de trabalhos da cartunista Laerte Coutinho é destaque da coluna em SP

PELO APROFUNDAMENTO DA NOSSA DEMOCRACIA! REFORMA POLÍTICA JÁ!

Plataforma eleitoral da UNE exige compromisso com um novo sistema político


Carteira Estudantil

AGORA É HORA! GUERRILHA VIRTUAL EM DEFESA DO ESTATUTO DA JUVENTUDE

No dia da votação da matéria, entidade organiza uma “campanha virtual” para a imediata aprovação do projeto

Para chamar a atenção da sociedade e pressionar os parlamentares, a União Nacional dos Estudantes (UNE) convoca para esta quarta-feira (15), às 13h, uma grande “guerrilha virtual”. O objetivo é claro: mobilizar e pressionar os senadores a aprovarem imediatamente o Estatuto da Juventude, projeto de lei que tramita na Casa e deve ser votado neste mesmo dia.

A ideia é que a juventude brasileira utilize as redes sociais como instrumento de luta, levando para todos os cantos do país a mensagem da manifestação. Na quarta-feira passada (8), a mobilização deu certo e a hashtag #EstatutodaJuventude ficou em segundo lugar nos Trendings Topics (TTs) Brasil do Twitter, sendo um dos assuntos mais comentados do microblog.

Para Daniel Iliescu, presidente da UNE, a “guerrilha virtual” é o principal instrumento de combate da juventude e pode mudar a cara do Brasil nesta quarta-feira: “A participação popular é o motor das transformações sociais. A manifestação da opinião de cada jovem pode contribuir com o andamento do processo no Senado. Por isso, é fundamental que os jovens se posicionem sobre o Estatuto da Juventude amanhã, às 13h”.

Pela aprovação do Estatuto da Juventude

É possível considerar que a categoria “juventude” é bastante nova no ideário social brasileiro. Historicamente, em nosso país, as leis referentes à popularmente chamada “fase de transição entre a infância e a idade adulta” atingiam a juventude de forma insuficiente.

Só a partir da década de 90, quando foi aprovado o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) através da Lei 8.069, essa categorização passou a ser melhor definida. No entanto, ainda assim, o jovem não ganha o referencial necessário.

O Estatuto da Juventude cumpre de maneira eficiente esta carência. A matéria que será votada nesta quarta-feira (15) é uma declaração de direitos e deveres dos jovens, acrescida de uma estrutura jurídica mínima que permita a eles discutir, formular, executar e avaliar as políticas públicas de juventude. Em outras palavras, é um instrumento jurídico-político para promover os direitos da juventude, reconhecendo que os jovens, entre 15 e 29 anos, são atores sociais estratégicos para a transformação e melhoria do Brasil.

A aprovação do Estatuto na Câmara dos Deputados, no dia 05/11/2011, foi, sem dúvida, a maior conquista do século para a juventude e um marco na história brasileira e do movimento estudantil.(Leia mais: http://bit.ly/r3WCt7)

Mas o que acontece com a votação do Estatuto?

A votação do Estatuto foi adiada várias vezes nos últimos meses no Senado e tramita hoje na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), tendo como relator o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), com voto favorável à sua aprovação.

Em novembro de 2011, por iniciativa do relator, foi realizada audiência pública pra instruir o projeto, ao qual já foram apresentadas emendas pelos senadores Aloysio Nunes Ferrreira (PSDB-SP), Clésio Andrade (PR-MG), Flexa Ribeiro (PSDB-PA) e Álvaro Dias (PSDB-PR), além de voto em separado do senador Demóstenes Torres (DEM-DO). O texto é polêmico e, desde que saiu da Câmara Federal, foi alvo de diversas emendas. A expectativa, portanto, é que nesta quarta-feira os senadores acertem os ponteiros e aprovem a proposição.

Contudo, três propostas do estatuto são foco de divergências entre os senadores: a meia-entrada em eventos culturais, de entretenimento e de lazer, o desconto de 50% nos transportes intermunicipais e interestaduais e a vinculação de, no mínimo, 30% de recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) para programas destinados aos jovens.

Após a votação pela CCJ, o Estatuto da Juventude seguirá para análise das Comissões de Assuntos Sociais (CAS); de Educação, Cultura e Esporte (CE), e de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

Estudantes cobram agilidade

Segundo o presidente da UNE, a entidade quer entregar ainda hoje uma carta-aberta dos estudantes brasileiros à presidenta Dilma Rousseff, cobrando agilidade e compromisso na aprovação do Estatuto da Juventude. “As medidas irão impulsionar os direitos da juventude em diversos órgãos e conselhos das esferas municipais, estaduais e federais”, declarou.

O senador Randolfe Rodrigues acredita que o atual texto seja aprovado pela CCJ nessa quarta-feira. “Estamos trabalhando pelo entendimento de todos os senadores, inclusive o de Demóstenes Torres”, avaliou.

Ele ainda esclareceu que o texto que veio da Câmara foi avaliado com base no que os órgãos mundiais dizem sobre a juventude e classificam como correto para tal faixa etária. “Nós não tiramos nada da nossa cabeça. Quando estipulamos a faixa etária dos jovens de 15 a 29 anos, seguimos o que a Organização das Nações Unidas (ONU) estabelece”, explica Rodrigues, alfinetando uma das emendas propostas pelo senador Demóstenes Torres.

Da Redação

Veja mais notícias

Uma resposta para “AGORA É HORA! GUERRILHA VIRTUAL EM DEFESA DO ESTATUTO DA JUVENTUDE”

  1. FATIMA CARRIELLO disse:

    temos que ressaltar que não somente os direitos dos jovens, assim como das crianças e dos adolescentes, que têm de ter validade,mas, e principalmente, os deveres dos mesmos, pois, a cada dia vemos o quanto eles estão esquecendo dos seus deveres e requisitando somente os seus direitos..

Deixe uma resposta