Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Comissão da verdade é discutida em encontro no Congresso da UNE

Tags:

Jornal Nota 10 entrevistou a deputada Manuela D’ávila, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal

O Congresso da UNE preparou um ato nesta sexta-feira para discutir o projeto da chamada “Comissão da Verdade”, que trata de um período da história brasileira cujos documentos e informações ainda são, em boa parte, mantidos em sigilo, a época do golpe militar. O jornal Nota 10! conversou sobre o assunto com a ex-diretora da UNE e atual deputada federal Manuela D’ávila, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal e convidada especial para este debate.

Leia abaixo:

Qual a importância, para a juventude, de debater os direitos humanos?
O debate sobre os direitos humanos interessa a toda a sociedade e, em particular à nossa juventude. Nós não podemos nos furtar de debater o combate às injustiças sociais, o combate à homofobia e ao preconceito, o combate às práticas que buscam cercear a liberdade de expressão. Nossa juventude sempre esteve à frente da luta em defesa do Brasil e da democracia, e também em defesa dos Direitos Humanos.

Explique melhor para os estudantes o que é o projeto da Comissão da Verdade.
A Comissão da Verdade é uma oportunidade de nosso povo passar a história a limpo, esclarecendo as condições em que muitos defensores do nosso país desapareceram. Também é um espaço onde as famílias irão resgatar a história de seus filhos e filhas que combateram a Ditadura Militar. A Comissão proposta pelo governo irá ter representantes da sociedade civil que irão reunir documentos e depoimentos para reconstruir a nossa história neste período.

A presidente Dilma Rousseff já mostrou esforço para que a Comissão da Verdade seja aprovada. Qual a expectativa em relação a isto?
Nós estamos iniciando o debate no Congresso Nacional, portanto ainda temos um processo de construção da Comissão, mas existe o esforço dos partidos da base da presidenta Dilma para que esta Comissão seja instalada ainda este ano.

Há quem diga que não existem mais documentos importantes da história recente brasileira a serem revelados. Qual sua opinião sobre isso?
Eu acredito que ainda existem documentos que serão analisados pela Comissão, pois os arquivos tornados públicos nos últimos anos ainda tem muitas lacunas, mas é com a instalação da Comissão da Verdade que iremos poder conhecer com detalhes este período da nossa história

Da Redação

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo